A abertura do ano letivo 2022/2023 no concelho de Marco de Canaveses foi assinalada esta sexta-feira, dia 16 de setembro, com a inauguração do auditório José Monteiro da Rocha na Escola EB 2,3 do Marco de Canaveses.

O auditório, e a nova zona lazer também requalificada, era uma obra “reclamada há muitos anos, junto da tutela, uma vez que esta escola não tinha um espaço coberto digno de convívio para que os alunos pudessem estar, principalmente durante o inverno”, frisa António Ribeiro, diretor da escola. 

Os alunos e professores terão agora “outras condições. Um auditório magnífico, onde podemos fazer uma reunião geral de professores, departamentos, alunos e pode, eventualmente, servir a comunidade, porque foi projetado para a mesma entrar sem ter acesso às instalações da escola. Assim como um espaços de lazer com muita luz e que permite aos alunos ter um local de convívio, organizar atividades”, enalteceu António Ribeiro. 

Trata-se de um edifício com cerca de 930m2 de área de construção e 770m2 de área de implantação. São duas entradas (uma principal, e outra com acesso ao polidesportivo), o auditório e a sala multiusos/bar. 

O responsável pela obra, Bruno Caetano, afirma que este foi um processo iniciado em 2016 e um “parto inicial complicado, pelas questões processuais e custo de obra que tiveram de ser ultrapassados”.

O desafio foi lançado “para uma escola que precisava de ter respostas em alguns âmbitos. Além das valências que tínhamos de dar resposta, havia a criação do auditório, que tem uma capacidade de cerca de 150 pessoas, e de uma sala polivalente que faria com que o ruído da zona do bar ficasse fora do núcleo educativo da escola”, começa por explicar Bruno Caetano. 

Na concretização do projeto, o responsável da obra, aponta alguns “constrangimentos que se refletem na obra”, como um “desnível de cerca de seis metros”, mas apresenta uma construção “low cost e duradoura. Quisemos também valorizar a paisagem natural e, por isso, quando a cortina se abrir vamos ter um quadro natural, a Serra da Aboboreira, e um espaço agradável de estar, com um contacto direto com a paisagem”, acrescenta.

Um dos objetivos do auditório seria servir a comunidade, sem entrar nas instalações das escola. “Como tal, este edifício está separado do edifício principal“.

A presidente da Câmara Municipal do Marco de Canaveses, Cristina Vieira, revelou um investimento de 620 mil euros, “num auditório e num espaço de lazer para as crianças da escola” e que é “apenas um dos edifícios que requalificamos ao longo do último mandato. Fizemos um grande investimento na requalificação das escolas básicas do primeiro ciclo e ensino pré-escolar e também já mapeamos esta escola para que seja requalificada com o próximo quadro comunitário”, afirmou.

A autarca enalteceu a concretização “de uma das ambições da comunidade educativa desta escola, ter um espaço digno para reunir e também um espaço coberto para que os alunos, durante o período de inverno, pudessem ter um espaço acolhedor e para desenvolverem as suas atividades”.

“É com muito gosto que estamos a inaugurar este auditório, que batizamos com o nome do matemático que nasceu em Marco de Canaveses e que é hoje um dos mais conhecidos, José Monteiro da Rocha. Foi uma proposta apresentada há dois anos pela Associação dos Amigos do Marco”, concluiu.