Nesta quarta-feira, dia 5 de janeiro, decorreu a “especial mais longa do rally”, que desafiou os limites físicos e mentais dos participantes. “Foi uma das etapas mais duras da primeira semana”, refere um comunicado do Team Bianchi Prata Honda.

“Etapa terminada, uma etapa muito dura, muito longa. Surgiram algumas peripécias, mas conseguimos chegar ao fim e estar tudo bem é o que interessa. O Dakar continua e a quarta etapa é sempre a mais dura e difícil. O Dakar é assim mesmo e não facilita. Amanhã é outro dia e vai correr tudo bem”, disse Pedro Bianchi Prata.

Foto: Fotop

Para Arcélio Couto a etapa 4 foi “concluída com sucesso”. “A etapa mais longa de todo o rally, foram 464 quilómetros muito duros. Foi uma etapa muito rápida e muito perigosa, mas feita sem percalços”, comentou.

“Hoje foi a etapa mais longa do Dakar. Uma etapa muito dura, uma etapa com um total de 800quilómetros em que 464 foram cronometrados. Hoje tivemos alguns percalços e tivemos que parar para ajudar dois concorrentes que estavam parados à espera dos mecânicos, mas o Pedro acabou por resolver. Mas apesar de difícil esta etapa está feita e já nos estamos a preparar para mais um dia”, rematou Paulo Oliveira.

Foto: Fotop