O ditado já é antigo e conhecido de muitos: “Nunca é tarde para começar” e, para Agostinho Carneiro, de Paredes de Viadores, Marco de Canaveses, a idade não é limite para nada.

Aos 50 anos e sem nunca ter dedicado tempo ao exercício físico, fez uma “mudança radical” de vida e começou a ir para o ginásio, onde um amigo o convidou para “fazer um trail pelo Marco”. E assim fez, ficando em primeiro lugar no escalão.

“A partir daí foi o bichinho que pegou e tem sido sempre assim”, conta ao Jornal A VERDADE, explicando que treina “duro” todos os dias e tem tido “bons resultados”. “Nunca imaginei chegar ao ponto em que estou e vou tentar melhorar ainda, se possível. Além de estar muito bem, fiz uma média de 15 trails e tirei 12 primeiros”, sublinha.

“Conquistar as medalhas é um ponto, mas, principalmente, olhar pela minha saúde, porque, ao fazer isto, estou a olhar pela minha saúde. Tenho me sentido muito bem. No peso, acho que há 20 anos ou 30 que não pesava o que peso – embora nunca fui forte, mas agora estou mais elegante – e penso, principalmente, na saúde. Depois, é o bichinho dos troféus e da competição”, explica.

Agostinho Carneiro ajuda a filha no seu estabelecimento e dedica muitas horas do seu tempo aos treinos porque acredita que, “sem treinos, não há resultados”, mas ainda não conseguiu passar este gosto por este desporto a mais ninguém da família. “Tenho o meu filho mais novo que joga a bola e já fez dois trails comigo, mas, para já, ainda não tem o bichinho. Quem sabe um dia lhe pegue ainda”, brinca.

“Nunca pensei começar aos 50 anos. A idade não tem limites e peço-vos: façam desporto pela vossa saúde, porque eu tenho o exemplo e tenho me sentido muito melhor depois que comecei a fazer este deporto”, rematou.