O primeiro-ministro, António Costa, anunciou, esta quinta-feira, dia 6 de janeiro, a atualização das medidas anunciadas no âmbito da pandemia.

Após a reunião com especialistas no Infarmed e o Conselho de Ministros, a conclusão é que, “apesar da alta transmissibilidade” da variante Ómicron e de um provável “crescimento significativo de um novo número de infetados na próxima semana”, é possível avançar “com cautela” nos próximos dias.

Assim, a partir da próxima semana, “vão acabar as proibições de saldos e de outras práticas promocionais, mas vai ser mantida a limitação de uma pessoa por cinco m2, limitação que já existiu no passado”.

Na próxima segunda-feira, dia 10 de janeiro, vão ser retomadas as aulas e o teletrabalho obrigatório mantém-se em todo o território nacional continental até dia 14 de janeiro, altura em que vai passar a ser recomendado. A 14 de janeiro vão ainda reabrir os bares e discotecas.

O certificado digital vai passar a ser obrigatório para acesso a: restaurantes; estabelecimentos turísticos e alojamento local; espetáculos culturais; eventos com lugares marcados; e ginásios. A apresentação de resultado negativo de teste COVID-19 vai passar a ser obrigatória para acesso a: visitas a lares; visitas a pacientes internados em estabelecimentos de saúde; grandes eventos e eventos sem lugares marcados ou em recintos improvisados; e recintos desportivos (salvo decisão da Direção-Geral da Saúde).

A partir de dia 10, está ainda prevista a proibição de consumo de bebidas alcoólicas na via pública, com exceção das esplanadas. Prorrogam-se até 9 de fevereiro as medidas especiais em matéria de testagem para efeitos de voos internacionais.