Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a situação meteorológica no país vai agravar entre esta segunda e terça-feira, dias 19 e 20 de dezembro.

As condições vão ser favoráveis à ocorrência de chuva forte e persistente e vento moderado a forte até, pelo menos, à manhã de terça-feira.

Os distritos de Aveiro, Braga, Porto e Viseu vão estar, esta terça-feira, sob aviso laranja devido à previsão de chuva, que poderá ser forte e persistente e aviso amarelo em relação ao vento com rajadas que poderão chegar aos 75 quilómetros por hora.

Os efeitos expetáveis, segundo a ANEPC – Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, são a ocorrência de eventuais derrocadas, quedas de árvores, cheias e inundações provocadas por linhas de água e inundações urbanas, assim como um aumento do risco de ocorrência de acidentes de trabalho e de viação.

Para além disso, a ANEPC relembra as medidas de prevenção, de precaução e de auto-proteção, nomeadamente:

Verificar atempadamente e desentupir, se necessário, as sarjetas, as valetas e aquedutos da via pública mais próximas da sua casa. Os Serviços Municipais e as demais entidades competentes tentam mantê-las limpas e operacionais mas, com a colaboração de cada um, conseguem-se melhores resultados e maior segurança para todos;
Garantir, também, a verificação e desobstrução atempada dos sistemas de escoamento das águas pluviais da sua casa, muros de suporte e áreas envolventes;
Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
Evitar sair e conduzir sob os efeitos do mau tempo;
Em caso de absoluta necessidade de conduzir, adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e com a presença de detritos e outros obstáculos nas faixas de rodagem;
Nunca tentar atravessar zonas inundadas, quer a pé, quer com viaturas, de modo a prevenir o risco de arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
Evitar circular e permanecer em áreas arborizadas, devido à possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude da força do vento e dos solos instáveis;
Evitar circular ou permanecer junto a zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a cheias e inundações rápidas;
Evitar circular e permanecer junto a taludes, muros ou outras construções em deficiente estado de conservação ou que por qualquer motivo aparentem instabilidade;
Nas áreas urbanizadas, não parar ou estacionar viaturas em locais onde são frequentes problemas com escoamento de águas pluviais;
Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Para mais informações sobre o estado de tempo na região pode consultar o seguinte link.