O homem que tinha sido detido pela Polícia Judiciária em março deste ano por alegadamente ter morto a mulher, que foi encontrada enrolada num edredão em Rio de Moinhos, Penafiel, começou a ser julgado esta segunda-feira, dia 5 de dezembro. Nega que a tenha matado.

O arguido, companheiro da vítima, responde pelo crime de homicídio qualificado, de violência doméstica e de profanação de cadáver. Na altura, a Polícia Judiciária afirmou que “entre ambos havia um historial de violência doméstica”, algo que o homem reconheceu agora em julgamento. No entanto, negou o resultado da autópsia, que tinha concluído que a mulher foi morta por asfixia, refere o Jornal de Notícias.

Veja mais:

Mulher encontrada morta em Penafiel estava nua e enrolada num edredão

Suspeito da morte de mulher em Penafiel foi detido pela Polícia Judiciária