O projeto “Acompanhar & Reparar”, promovido pelo VES – Voluntariado de Emergência Social, da Associação Pista Mágica, foi criado recentemente para “combater o isolamento e melhorar as condições de habitabilidade” de cerca de 100 idosos de Amarante.

Em comunicado, o município, investidor social do projeto, refere que foi realizada a primeira sessão de trabalho de forma “operacionalizar, coordenar e capacitar as instituições e cidadãos de Amarante para o voluntariado”.

Foto: Município de Amarante

“Hoje, mais do que nunca, são bem-vindos todos os esforços no sentido de dar mais e melhor qualidade de vida aos nossos seniores”, afirmou Jorge Ricardo, vice-presidente e vereador com o pelouro da Coesão Social, na sessão que teve lugar na Casa da Portela. Após dois anos de pandemia, “é urgente promover uma solução que vá de encontro a esta problemática” e o “Acompanhar & Reparar” pretende ser “uma resposta qualificada e descentralizada, mais próxima do idoso, em que os voluntários, individual ou coletivamente, contribuem com o seu tempo, conhecimento e recursos”, acrescentou, enaltecendo a importância do voluntariado na sociedade.

A presidente da Pista Mágica, Sónia Fernandes, referiu que o VES “está a criar um corpo de voluntariado de emergência social para dar resposta à exclusão social gerada ou agravada pela pandemia”. Com duração de 18 meses, o Voluntariado de Emergência Social tem como meta acompanhar cerca de 100 idosos.

Foto: Município de Amarante

Esta iniciativa abrange todo o território do concelho e conta com a participação ativa de alguns parceiros sociais (entidade mediadora local), nomeadamente: Adesco, Associação Emília Conceição Babo, Associação Humanitária de Santiago, Associação de Solidariedade Social O Bem Estar, Centro Social de Jazente, Centro Social Vale Santa Natália, Cercimarante, CLAP, Comissão Social de Freguesias Portas do Concelho.