Dois anos depois a comunidade católica volta a reviver o tempo de quaresma com ânimo. As famílias reúnem-se novamente para a celebração da Páscoa, um dia de correria, mas também um dia de união e convívio.

A celebração católica volta a acontecer, dentro do possível, em todos os concelhos da Região do Tâmega e Sousa, permitindo que se regresse a uma normalidade. Mesmo com algumas restrições, por causa da COVID-19, as famílias voltam a receber a cruz nas suas casas.

Além disso, este ano já é possível fazer os tapetes florais, ouvir a campainha, que assinala a chegada do compasso pascal, unir famílias à mesa e aproveitar o dia de uma forma muito semelhante àquilo que já foi vivido anteriormente. 

Nesta quaresma espera-se uma animação e ansiedade maior por parte daqueles que celebram este dia com entusiasmo. Os dias da celebração da quaresma deverão ser marcados por um movimento que não se sentiu nos últimos anos, espera-se, que para além dos cuidados que todos devem ter, se marque a data junto da família e amigos. 

Será também possível ver, em todo o Região do Tâmega e Sousa, os fornos que assam o tão conhecido anho, mas também uma mesa de enchidos e produtos de cada região, assim como o conhecido pão-de-ló acompanhado dos doces tradicionais da Páscoa, que, por norma, a população não deixa que falte na sua mesa. 

Sabe-se, que cada região tem a sua tradição em tempo de quaresma, no entanto, o que se assemelha a todos é, certamente, o convívio, a alegria e a boa comida, características que marcam toda a Região do Tâmega e Sousa. 

Texto redigido com o apoio de Ana Ferrás, aluna estagiária da Universidade Fernando Pessoa