A maior parte da comunidade do mercado estava soprando sua vuvuzela ou dando uma grande mão aos últimos comentários feitos pelo chefe do Federal Reserve (Fed) dos EUA, Jerome Powell. Embora esse discurso do comentarista tenha sido minuciosamente elaborado, as frases inteligentes de Powell não continham mudanças mais radicais na retórica do regulador do que uma correção invisível do caminho da bola do nimbus de Cristiano Ronaldo após um cruzamento de Bruno Fernandes para o esplêndido primeiro gol de Portugal contra o Uruguai.

Claro que aquele salto em altura aliado à ação de cabeça bem como o próprio fenómeno envolvente do líder da seleção, fizeram com que o guarda-redes perdesse o foco e esta tenha sido provavelmente a principal razão para o golo. Com o mesmo estilo, o desfile de conversas rápidas criado por Powell desviou a atenção da multidão. Enquanto isso, os lobos de Wall Street estavam envolvidos em uma intensa atividade de compra cruzada com o gancho de notícias sendo um bom encobrimento, de modo que poderia ser facilmente visto como uma oportunidade de cobertura em todos os sentidos do termo, acredita o analista da TeleTrade.

Com base sólida nos fatos, Jerome Powell acabou de dizer no evento da Brookings Institution em Washington que “a moderação do ritmo de aumento das taxas pode ocorrer já na reunião de dezembro”, acrescentando também que a política monetária está se aproximando “do nível de contenção que será suficiente para derrubar a inflação”.

“Continuamos esperando que o FOMC [Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed] diminua o ritmo de aumento das taxas para 50 pb em dezembro e para 25 pb em fevereiro, março e maio, elevando a taxa de fundos para um pico de 5-5,25%. ”, escreveu o Goldman Sachs em uma nota no dia anterior, e isso parece uma análise ponderada. No entanto, a atitude média do mercado ao olhar do Fed parece estar mais voltada para o desejo.

Seja como for, o gol foi permitido porque toda a equipe o merecia e como o momento de alta passou a ser reforçado por um novo e forte argumento de movimento de preço no caso do mercado de ações. De fato, se o recorde de gols de Cristiano Ronaldo nas Copas do Mundo ainda não foi estabelecido, embora possa ser em breve, então o principal indicador de mercado amplo do S&P 500 já subiu mais de 3% em um pregão para tocar um pico impressionante de 4.090 pontos. O Nasdaq Composite, pesado em tecnologia, subiu 4,4%. A Meta Platforms liderou os ganhos de quarta-feira, com as ações subindo 7,89%, seguidas pela Alphabet, controladora do Google, e pela Apple, que subiram 6,09% e 4,86%, respectivamente.

Todos esses fatos podem ser vistos como infundados como uma declaração do patrocinador da FIFA, Adidas, de que, usando a tecnologia conectada na bola, definitivamente não houve contato com a bola de Cristiano Ronaldo para o gol de abertura da partida. Cristiano sabe que ele marcou de cabeça, e isso foi o suficiente, então o mercado sabe que disparou por causa da cabeça do Fed. Essa é a melhor conquista do time de alta nas últimas dez semanas, então isso pode moldar o futuro para a fase de “playoffs” de dezembro, que também está chegando aos mercados. De acordo com o analista TeleTrade Ilya Frolov (https://www.teletrade.eu/pt), isso pode significar que os investidores podem estar ansiosos para ver a resposta real dos preços à decisão do Fed de aumentar os juros, não apenas seus comentários escorregadios como uma enguia. Só então ficará claro quem é quem e o que é o quê, e se o mercado conseguirá fazer durar sua vitória.

Isenção de responsabilidade:

As análises e opiniões fornecidas neste documento destinam-se exclusivamente a fins informativos e educacionais e não representam uma recomendação ou conselho de investimento da TeleTrade.

Ilya Frolov, Chefe de Gestão de Portfólio, TeleTrade