“A corrida mais difícil do mundo”. É este o nome do documentário da Team Bianchi Prata Honda que estreou no passado domingo, dia 11 de dezembro. O primeiro episódio do documentário foi lançado no canal de youtube do Team Bianchi Prata Honda – Marco de Canaveses e pretende “não só mostrar a competição ao longo dos 22 dias, mas também as emoções, o sofrimento e as conquistas ao longo deste período”.

Em declarações ao Jornal A VERDADE, Pedro Bianchi Prata explicou que este documentário “é o culminar de 30 anos de trabalho. A ideia é documentar o que é o interior do Dakar, os bastidores, o que vivemos desde a preparação da corrida até completar a prova”.

O piloto, natural de Marco de Canaveses, recordou que este documentário “coincidiu com os meus 30 anos de carreira” e o objetivo foi deixar a data “marcada de alguma forma. O que acontece neste documentário é quase como se fosse um Big Brother dentro do Dakar. Esquecemo-nos que estamos a ser filmados, 24 horas por por dia, o que torna o documentário natural, porque as coisas saem naturalmente. Não estamos a pensar no que vamos dizer”.

Para o piloto, esta é uma forma “de transmitir ao público em geral as vivências e o que são os verdadeiros bastidores do Dakar. As pessoas percebem que somos humanos, que choramos, que rimos, que estamos tristes ou alegres, como qualquer outra pessoa”.

O primeiro episódio do documentário conta com várias imagens de Marco de Canaveses, local onde é feita “toda a preparação, desde os treinos até à preparação das motas e dos carros de assistência”.

Bianchi Prata referiu ainda que vai marcar presença no Dakar 2023, como “navegador de um piloto brasileiro. Já tive esta experiência em 2020 e é algo que também gosto de fazer. Dia 1 lá estarei”.

Veja o primeiro episódio do documentário aqui: