Marco de Canaveses

Escolas de Marco de Canaveses ficam sem amianto

Ana Magalhães

09-06-2021

O mote para a última retirada de amianto, na EB1 do Cabo, na freguesia de Vila Boa de Quires e Maureles, foi dado esta tarde.

A inauguração da última escola onde foi retirada a cobertura de fibrocimento, no concelho de Marco de Canaveses, aconteceu na tarde desta quarta-feira, dia 9 de maio. Trata-se da EB1 do Cabo, em Maureles, na freguesia de Vila Boa de Quires e Maureles.

A cerimónia de inauguração da retirada do amianto contou com a presença da presidente da Câmara Municipal de Marco de Canaveses, Cristina Vieira, dos vereadores Mário Bruno Magalhães e Paulo Couto, do presidente da Junta de Freguesia de Vila Boa de Quires e Maureles, Fernando Monteiro, da diretora do Agrupamento de Escolas n.º1 de Marco de Canaveses, Berta Magalhães, bem como de toda a comunidade escolar daquele estabelecimento de ensino.

Dirigindo-se aos presentes, a presidente do Município de Marco de Canaveses, Cristina Vieira, afirmou que, com esta inauguração, fica concluída a retirada de fibrocimento nas escolas do concelho. “Quando chegamos à câmara, existiam 13 escolas com amianto, neste momento não existe nenhuma. Foi uma boa missão, a do amianto zero”, sublinhou.

A empreitada na EB1 do Cabo teve um investimento de cerca de 26.900 euros e integra um conjunto de 13 empreitadas que foram levadas a cabo ao longo do concelho, no âmbito do programa do Governo que visou a retirada do amianto das escolas do país. “Fomos o município da região do Tâmega e Sousa que apresentou mais candidaturas e conseguimos concluir todas as obras”, afirmou a presidente.

Durante o tempo em que decorreram as obras, os alunos deste estabelecimento escolar tiveram aulas no Centro Pastoral de Vila Boa de Quires, cedido pelo pároco Prabesh Jacob. “Hoje é um dia de festa, porque concluímos a retirada de amianto em todas as escolas”, concluiu a presidente Cristina Vieira.

Por sua vez, o presidente da Junta de Freguesia de Vila Boa de Quires e Maureles, Fernando Monteiro, deixou um agradecimento “por não terem deixado de parte a EB1 do Cabo” que era “uma preocupação”. Considerou que esta empreitada “é a cereja no topo do bolo” nas intervenções desta escola. “Apelo à presidente para contemplar a escola com mais alguns ajustes, apesar de não faltar assim tanto”, constatou.

O autarca considera que, desta forma, “as crianças têm melhores condições para estudar” e estão “muito mais seguras”.

Por fim, Berta Magalhães, diretora do Agrupamento de Escolas n.º1 de Marco de Canaveses, afirmou que “esta inauguração tem muito simbolismo”, uma vez que todas as escolas deste agrupamento “ficam sem fibrocimento. É menos uma preocupação”. Deixou ainda um apelo à autarquia “para aceder a eventuais pedidos que esta comunidade escolar possa fazer”.