Marco de Canaveses

Arte urbana de Marco de Canaveses impulsionada com três “paredes legais”

José Rocha

07-06-2021

Veja a galeria de fotografias da inauguração do local.

Marco de Canaveses tem, desde esta segunda-feira, 7 de junho, um espaço legal destinado à arte urbana e que visa potenciar a criatividade e liberdade de expressão da comunidade jovem do concelho. Esta "parede legal", termo adaptado do inglês "legal wall", localiza-se no Parque de Lazer de Marco de Canaveses.

Coube a José Miguel Pinto inaugurar, de lata de tinta na mão e máscara de proteção colocada, esta nova "tela", que idealizou em conjunto com Daniel Ribeiro, presidente da ZORA - Movimento Associativo de Jovens Marcoenses. Dinamizado no âmbito de uma proposta ao Orçamento Participativo Jovem promovido pela Câmara Municipal de Marco de Canaveses, o projeto inclui ainda os Muros da Feira e um outro painel no Parque de Lazer do Tâmega.

José Miguel Pinto explicou ao Jornal A VERDADE a importância da existência destas "paredes legais" no concelho: "Há paredes em que se pinta à vontade, mas há sempre a questão de, se aparecer a polícia, não se ter autorização. Até se pode estar a pintar nesse sítio há dez anos e nunca ter havido problemas, mas se for realmente legal, isso já não acontece."

Em Portugal, ainda são poucos os espaços designados para este efeito, o que deixa os graffiters nacionais em desvantagem em relação a outros países. "Aqui tens artistas incríveis que não têm as oportunidades que artistas se calhar menos bons conseguem ter noutros países. Assim, conseguem progredir de uma maneira muito mais rápida", acrescentou.

Daniel Ribeiro junta-se à conversa e refere que, graças a espaços como aquele que foi inaugurado nesta data, "o processo até o artista ser bom e profissional é legal em todo o lado. Se não houver espaço para treinar e por isso é que estas paredes são boas", salientou.

Também a presidente da Câmara Municipal de Marco de Canaveses, Cristina Vieira, se pronunciou sobre a importância da existência destes espaços. "O que importa é que conseguimos legalizar espaços que, até hoje, eram utilizados para esse tipo de pinturas, mas que não estavam legais. O José Miguel Pinto está aqui a fazer esta inauguração que é simbólica, mas o que importa é que os outros jovens que querem dar azo à sua criatividade e que gostam de pintar murais possam vir cá, fazê-lo aqui e exprimirem as suas artes", referiu.

Por sua vez, Paulo Couto, vereador com o pelouro do Desporto do município, considera que "os jovens do concelho sentem a necessidade de ocupar os seus tempos livres”, pelo que, ações como esta "são uma forma de termos os jovens mais introduzidos na sociedade, que se torna muito mais tranquila, mais calma e é também uma forma de termos um concelho muito mais belo".

Certamente que, quando isto estiver pronto, vai ajudar muito a embelezar este espaço, ao lado de outro projeto do Orçamento Participativo Jovem - o Skatepark.

19