Marco de Canaveses

Duas freguesias de Marco de Canaveses vêem alargada a respetiva rede de saneamento

José Rocha

02-06-2021

A empreitada designada “Rede de Abastecimento de Água, Drenagem de Águas Residuais e Drenagem de Águas Pluviais em Tabuado e Marco - Fase 2” está prestes a arrancar.

A Rua da Freita, situada na freguesia do Marco, concelho de Marco de Canaveses, acolheu esta quarta-feira, dia 2 de junho, a assinatura do auto de consignação da empreitada designada “Rede de Abastecimento de Água, Drenagem de Águas Residuais e Drenagem de Águas Pluviais em Tabuado e Marco - Fase 2”.

A cerimónia contou com a presença da presidente da Câmara Municipal de Marco de Canaveses, Cristina Vieira, de José Barbosa, presidente da Junta de Freguesia de Tabuado, Celso Santana, presidente da Junta de Freguesia do Marco, bem como os responsáveis pela concretização da obra e de outras entidades, para além de alguns populares.

Iniciada em junho de 2020 (leia aqui), a empreitada contempla no total um investimento superior a 750.000 euros. Esta segunda fase tem um prazo de execução de seis meses e consiste na instalação de 1.890 metros de coletores de águas residuais, 2.000 metros de rede de drenagem de águas pluviais, 225 metros de rede de distribuição de água, uma estação elevatória de águas residuais e 55 ramais domiciliários.

Em Tabuado, a intervenção incidirá sobre parte da Rua de Chãos, parte da Rua de Migra, parte da Rua de Quebradas, parte da Rua da Vindima e a Travessa da Pousada. Já na freguesia do Marco serão intervencionadas a Rua da Freita, a Rua da Lamosinha, a Rua Joaquim Teixeira e a Rua de Vila Maior. Refira-se que será nestas duas últimas que será instalada e construída a já referida estação elevatória de águas residuais.

Na ocasião, Cristina Vieira deu conta da sua “satisfação” pelo arranque da segunda fase da obra, “que se traduz num importante benefício para os habitantes das duas freguesias” pelo seguinte motivo: “é um grande esforço financeiro que a câmara municipal está a fazer, mas trata-se de um investimento na saúde pública e dos marcoenses, em particular, dos habitantes destas duas freguesias.”

“Mas não vamos ficar por aqui”, apressou-se a garantir a presidente do município, que revelou a intenção de “continuar a investir na expansão da rede”. E explica porquê: “queremos chegar ao maior número de marcoenses possível com água e saneamento. É esse o nosso desígnio é para isso que estamos a trabalhar”.

Esse trabalho estará patente no designado Plano de Investimentos a Curto e Médio Prazo, que a autarquia apresentará em breve. “Servirá para que os marcoenses fiquem a perceber qual é que vai ser o crescimento que a câmara municipal vai fazer, onde, como e quais são os valores associados a esse investimento. Até ao final do ano, estaremos a falar de um valor em água e saneamento de 8,5 milhões de euros”, revelou, para terminar.

Celso Santana, presidente da Junta de Freguesia do Marco, considerou “essencial” o investimento em água e saneamento, pelo que parabenizou o executivo municipal por ter vindo a investir “muito nesta área, para o bem de todos”. “Devemos agradecer quando os dinheiros públicos são investidos naquilo que as pessoas anseiam, naquilo que precisam, naquilo que é necessário e o que é necessário neste momento é a água e o saneamento”, reforçou.

Na mesma linha de pensamento, José Barbosa, presidente da Junta de Freguesia de Tabuado, destacou que o investimento na “água e saneamento tem de ser prioridade” e algo pelo qual diz lutar desde 2016. “Podemos ter um sintético, podemos pensar numa piscina, podemos pensar num gimnodesportivo, mas, se não tivermos água e saneamento, falta-nos tudo e não temos nada. Vou continuar a lutar por levar saneamento e água a outros pontos da freguesia”, assegurou, para concluir.