Lousada

Andorinhas-das-barreiras encontraram santuário em Lousada

José Rocha

06-06-2021

Esta primavera, instalaram-se em Lousada várias grandes colónias desta espécie, uma delas com mais de 400 ninhos.

Foto: Município de Lousada

A Câmara Municipal de Lousada tem vindo a realizar ações que visam a proteção das andorinhas-das-barreiras, uma espécie migratória que, no presente ano, construiu várias mega-colónias ao longo da Paisagem Protegida Local do Sousa Superior (PPLSS), uma delas com mais de 400 ninhos.

Face a este cenário, a autarquia presidida por Pedro Machado não tem dúvidas ao afirmar que, "em Lousada, estas andorinhas encontraram um santuário".

Este fenómeno explica-se também pelo trabalho desenvolvido pelo projeto local de ciência-cidadã Casa-Ninho, que apela à população para comunicar locais de nidificação de espécies emblemáticas como a coruja-das-torres, o mocho-galego, os andorinhões e as várias andorinhas. Os ninhos identificados são monitorizados pelos biólogos da equipa Lousada, que garantem a sua salvaguarda e a sensibilização da população.

Foto: Município de Lousada

"Na PPLSS, a paisagem agroflorestal, a biodiversidade e a compatibilização entre as atividades humanas e a natureza ditam a agenda de trabalhos e o desenvolvimento de projetos colaborativos, que procuram resolver conflitos e promover o desenvolvimento sustentável. A comunicação com a comunidade é outra vertente fundamental da autarquia que inclui atividades gratuitas de promoção da cultura ambiental, como o passeio BioLousada que se realizou no passado sábado, e que foi dedicado ao conhecimento e proteção das andorinhas", explica o município através de comunicado.

A mais recente área protegida de Portugal, a PPLSS, é composta por uma matriz territorial agroflorestal de 1.609 hectares, genericamente correspondendo ao vale do rio Sousa e os seus nove tributários, abrangendo administrativamente oito freguesias cuja biodiversidade é agora monitorizada de muito perto.