Cinfães

Habitante de Cinfães distinguido como Cidadão Nobre

José Rocha

08-05-2021

Luís Soares foi distinguido pela Nobre Casa de Cidadania no âmbito de um projeto solidário desenvolvido durante a pandemia da COVID-19.

É natural de Cinfães um dos nove portugueses distinguidos como Cidadãos Nobres pela Nobre Casa de Cidadania. Falamos de Luís Soares, que recebeu a atribuição que visa homenagear anualmente cidadãos que se distinguiram por ações de valores de altruísmo, despreendimento e carácter.

A honra é atribuída pelo concelho institucional composto pela Autoridade Nacional para a Proteção Civil, o Corpo Nacional de Escutas, a Direção Geral da Educação, a Direção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo, o Estado-Maior-General das Forças Armadas, a Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, a Fundação para a Ciência e a Tecnologia, a GRACE, o INEM, a Liga dos Bombeiros Portugueses e a Polícia de Segurança Pública.

Para esta distinção contou todo o percurso de Luís Soares no âmbito da ajuda humanitária voluntária e associativa, mas principalmente a sua última iniciativa de criação e implementação da plataforma “Escola Para Todos”, que proporcionou a inúmeros alunos equipamentos informáticos para poderem assistir às aulas online durante a pandemia COVID-19, que, face às suas carências económicas, não tinham possibilidade de os adquirir.

Com esta sua iniciativa, para além da criação da plataforma “Escola Para Todos”, o cinfanense conseguiu envolver cidadãos e empresas para concretizar a doação de dezenas de equipamentos informáticos às escolas do concelho de Cinfães, para que estas os cedessem aos seus alunos, possibilitando com esta sua ação, que os alunos mais carenciados ficassem em igualdade de oportunidades no acesso ao ensino e aprendizagem. Todos os computadores doados foram recondicionados pro bono por duas empresas da área da informática do concelho cinfanense, encontrando-se, por isso, em plenas condições de uso.

"Gratamente, em minha casa e na escola, sempre me foram incutidos valores como a solidariedade. Diria até que na comunidade que me rodeia, e em geral os portugueses a solidariedade, é quase uma questão cultural. Pessoalmente, pratico-a e defendo a ideia que essa deve ser sempre regra e nunca a exceção", referiu na cerimónia Luís Soares.

O distinguido realçou também a importância de promover a coesão territorial de modo a esbater as diferenças entre o interior e o litoral. "Nasci, cresci e vivo no interior do país, onde por vezes e principalmente nos tempos conturbados que vivemos, as assimetrias mais se notam a todos os níveis e onde as consequências sociais são dramáticas. Não podemos baixar os braços e devemos sim, retirar ensinamentos e olhar, para as inúmeras oportunidades que daqui nos podem surgir para evitar repetições futuras", disse.