O Cineclube de Amarante voltou a apresentar a programação para outubro, mês marcado pela participação de Susana Nobre que irá apresentar o filme “No Táxi do Jack”.

À semelhança do mês anterior, o cinema espanhol volta a estar presente no cineclube através do filme “Libertad”, de Clara Roquet, no dia 14.

O realizador israelita, Nadav Lapid, também não é uma novidade no Cineclube de Amarante. Este mês será exibido, no dia 21, o seu filme mais recente, “O Joelho de Ahed”, premiado em Cannes 2021.

Na última sexta-feira de outubro, dia 28, o cineclube irá comemorar o Dia Mundial da Animação, através do documentário “Flee – A Fuga”, que foi candidato a três Óscares e é um filme destinado ao público adulto.

Dia 7 de outubro: “No Táxi do Jack”, com a presença da realizadora Susana Nobre

  • Exibido no Festival de Berlim e Grande Vencedor do Festival IndieLisboa 2021

“Com 63 anos, e quase a reformar-se, Joaquim vê-se a ter de cumprir as regras do centro de emprego para poder usufruir do subsídio de desemprego. Apesar de saber que não voltará mais à vida ativa, Joaquim tem de andar de empresa em empresa a pedir carimbos para atestar que ali esteve à procura de trabalho. Nestas viagens rememora a sua vida de emigrante na América onde trabalhou como taxista, em Nova Iorque, e assistiu às diversas quedas da bolsa de Wall Street”, informa comunicado de imprensa.

Dia 14 de outubro: “Libertad”, de Clara Roquet

  • Festival de Cannes 2021 – Semana da Crítica
  • Prémios Goya 2022 – Melhor Jovem Realizadora | Melhor Atriz Secundária (Nora Navas)

“Primeira e premiada obra de Clara Roquet, estreada em Cannes na Semana da Crítica, esta deslumbrante crónica adolescente da passagem à idade adulta num Verão na costa da Catalunha, é, como escreveu o El País, “uma explosão de descobertas e rebeldia”, intensa, calorosa e sensível, comovedora, e de uma sinceridade profunda”, explica nota de imprensa

Dia 21 de outubro: “O Joelho de Ahed”, de Nadav Lapid

“Um cineasta israelita na casa dos 40, viaja para uma aldeia remota, em pleno deserto, para apresentar o seu mais recente filme. Lá, conhece Yahalom, uma funcionária do Ministério da Cultura, que lhe pede para assinar um documento que contém uma série de restrições ao que pode dizer no Q&A final. Y. dá por si a travar duas batalhas perdidas: uma contra a morte da liberdade do seu país, a outra contra a morte da sua mãe”, acrescenta nota.

Dia 28 de outubro: “A Fuga”, de Jonas Poher Rasmussen

“Amin era menor quando chegou à Dinamarca sozinho, vindo do Afeganistão. Hoje, com 36 anos, é um académico de sucesso e está noivo do seu namorado de longa data. Mas esconde um segredo há mais de 20 anos, que começa a ameaçar arruinar a vida que construiu para si. Amin, pela primeira vez, partilha a sua história com um amigo chegado”, termina comunicado do cineclube.