Saúde e Bem Estar

Santa Saúde: Reabilitação após infeção por COVID-19

A Verdade

07-05-2021

Leia o artigo de opinião de Abel Monteiro e João Amaro, profissionais de saúde na Santa Casa da Misericórdia do Marco de Canaveses.

Em 2020, fomos confrontados com um novo vírus SARS, o SARS-CoV-2, também conhecido como COVID-19 ou Coronavírus. Sabíamos pouco sobre o impacto que teria sobre os pacientes, o nosso sistema de saúde e a nossa sociedade.

No início, todo o foco estava no tratamento de pacientes hospitalizados, agudos e gravemente doentes. À medida que estes doentes recuperam e recebem alta hospitalar, e com a doença ainda a transmitir-se nas nossas comunidades, tem surgido cada vez mais a necessidade de lidar com os efeitos de curto e longo prazo.

Do modo como as nossas comunidades foram atingidas, é provável que muitos de nós conheçam casos de pessoas que sofrem de efeitos crónicos pós-infeção, tais como a fadiga, falta de ar, fraqueza muscular ou dores nas articulações, com compromisso da qualidade de vida.

Santa Casa da Misericórdia do Marco de Canaveses

No caso dos doentes mais graves, é essencial ter em conta que podem ter efeitos relacionados com o internamento em cuidados intensivos, com necessidade de ventilação mecânica e sedação, com danos diretos na autonomia das pessoas. Estes efeitos atingem também outros sistemas, alterando o estado cognitivo e o psicológico. Mesmo os doentes menos graves podem sofrer algum compromisso da função física e respiratória, sendo que estas consequências podem ser ampliadas em doentes com outras doenças crónicas ou idade mais avançada. O isolamento social como resultado das medidas de contenção da pandemia, pode exacerbar muitos destes problemas.

É fundamental que as pessoas tenham acesso a cuidados de reabilitação física dedicados e atempados. Fisicamente, os doentes hospitalizados com COVID-19 apresentam algum grau de debilidade - esta fraqueza atinge principalmente os músculos dos ombros, coluna e ancas, o que pode ter consequências na capacidade do autocuidado.

A reabilitação pós-infeção por COVID-19 inclui tratamentos de Fisioterapia como a mobilização das articulações, o treino funcional, o recondicionamento ao esforço ou a reabilitação respiratória; tratamento de Terapia Ocupacional cujo objetivo é restaurar e maximizar a autonomia, bem como Terapia da Fala nos doentes que ficam com dificuldade em engolir ou em falar. Sabemos hoje que quanto mais cedo a reabilitação pós-Covid começar, melhor será o resultado e menores serão os défices a longo prazo.

Abel Monteiro
João Amaro
João Amaro

Abel Monteiro, fisiatra na Clínica de MFR da Santa Casa da Misericórdia do Marco de Canaveses

João Amaro, fisiatra na clínica de MFR da Santa Casa da Misericórdia do Marco de Canaveses