As férias são uma conquista recente dos trabalhadores, produto do final da revolução industrial. Hoje constituem uma paragem na rotina laboral imprescindível e, ao mesmo tempo, uma oportunidade para reunir famílias e socializar.

Por esta altura do ano assiste-se na Europa a uma deslocação em massa das pessoas, muito semelhante à migração das aves. Famílias inteiras migram do interior para o litoral e de norte para sul. Como o fenómeno é europeu e o Algarve é o extremo sul da Europa, compreende-se que se concentre aí muita gente. E este ano em particular é a primeira grande oportunidade de férias depois de 2 anos de confinamento devido à Covid. O desejo de férias é redobrado. Programe bem as férias para não ser submerso por multidões que lhe comprometam a qualidade das férias desejadas.

Há alguns conselhos que estas férias recomendam. Em primeiro lugar há o sol. Para muitos há necessidade de aproveitar o sol com avidez. Cuidado. O sol é muito bem-vindo para a saúde mas representa riscos importantes; em primeiro lugar as queimaduras solares a quem há muito tempo não se expõe, depois há o aumento do risco de cancros da pele. O conselho é a moderação: proteja a pele com protetores solares e evite o período de mais intensidade solar, entre as 11 horas da manhã e as 16 horas da tarde.

O segundo maior risco é a sinistralidade da estrada. Se vai fazer grandes deslocações, pense primeiro nas condições mecânicas do automóvel, principalmente pneus e travões. Se faz viagens longas evite completamente o álcool e pare aos primeiros sinais de fadiga ou sonolência.

Os doentes crónicos também vão de férias mas as suas doenças fazem-lhes companhia. Não pode haver pausas para os tratamentos regulares em curso. Não deixe de lavar os seus medicamentos e de os tomar às horas recomendadas. Esta recomendação aplica-se a quaisquer tratamentos, principalmente a diabetes, hipertensão, insuficiência cardíaca, DPOC, asma. Não negligencie!

Com a aproximação das férias pense nos velhos da família, nos que vão convosco e nos que ficam para trás. Assegure que ficam em condições de segurança pessoal e que recebem os devidos cuidados. Que não deixem de tomar os seus medicamentes às horas certas, mas acima de tudo que não sejam expostos ao calor. Os velhos, mais do que todos os outros, precisam de se conservar bem hidratados. Garanta que bebem a água necessária. Lembre-se que habitualmente são renitentes a beber sem sede!

Jovens e adultos precisam de ar livre e atividade. Pense que as férias não devem ser ociosas para serem repousantes. Assegure programas de exercício: caminhadas, desporto, visitas ao ar livre. Não deixe os jovens da família abandonados aos seus telemóveis!

Lembre-se do seu animal de estimação!

Prof. J. Agostinho Marques – Diretor clínico da Santa Casa da Misericórdia do Marco de Canaveses