Foto: martaposemuckel/Pixabay
Publicidade

O salário mínimo nacional vai sofrer um aumento de 705 para 760 euros no próximo ano, com o objetivo de atingir os 900 euros em 2026. O aumento corresponde a 7,8% e fica abaixo dos 761,58 euros anunciados para a função pública.

O valor está previsto no Acordo de Médio Prazo de Melhoria dos Rendimentos, dos Salários e da Competitividade que foi debatido na reunião extraordinária da concertação social, convocada pelo Governo na passada quinta-feira, dia 6 de outubro.

O objetivo do executivo é chegar aos 900 euros em 2026. Desta forma, depois de subir para os 760 euros (7,8%) em 2023, a remuneração mínima passará para 810 euros (6,6%) em 2024; para os 855 euros (5,6%) em 2025 e, finalmente, para os 900 euros (5,3%) no último ano da legislatura.

O Governo tem, ainda, como objetivo aproximar-se dos salários da média europeia, de forma a “chegar a 2026 com um peso dos salários na riqueza nacional idêntico ao da média europeia, subindo dos 45,3% para os 48,3%”.

Para além disso, o Governo propõem às empresas que “assumam o compromisso de, até ao final da legislatura, aumentarem o rendimento médio por trabalhador em 20% face a 2022, o que se traduz num aumento nominal de 4,8% em cada ano”, segundo o Jornal PÚBLICO.

O primeiro-ministro, António Costa, referiu quatro objetivo a atingir até 2026: “reequilibrar o peso dos salários na riqueza nacional, reforçar a competitividade das empresas, fixar talento jovem e apoiar as famílias e empresas para enfrentar a crise”.