Para cumprir a tradição do S. Martinho diz-se que é comer castanhas assadas e beber bom vinho. Em Penafiel, as castanhas já estão garantidas pelos vários vendedores espalhados pela cidade, mas, na ‘barraquinha’ de Luzia Silva, Rufus é a “estrela da sorte”.

Rufus é um cão de olhos claros e pelo branco encaracolado que acompanha todos os anos a família de Luzia Silva na tarefa de cortar e assar este fruto seco. “Venho eu, o meu filho, o meu marido, dois amigos que me ajudam a cortar e a mascote, que é o Rufus. Todos os anos está aqui comigo, é a estrela da sorte. Não corta castanha nenhuma, gosta é de brincar com elas”, conta.

Há 25 anos, a penafidelense, natural de Guilhufe, começou a vender castanhas na festa de S. Martinho. “Foi opção minha. Experimentei, gostei e continuei”, recorda, explicando que já tem clientes que a procuram todos os anos e que gosta do “convívio” que se proporciona durante estes dias.

No ano passado, vendeu cerca de quatro mil quilos e este ano conta superar, chegando aos cinco mil.