Esta sexta-feira, dia 3 junho, teve lugar a inauguração das obras de renovação do Auditório Municipal de Baião. O Auditório foi alvo, no último ano, de obras de renovação e de modernização, cerca de 22 anos após a sua abertura.

De acordo com o vice-presidente da Câmara Municipal de de Baião, Filipe Fonseca, trata-se de “uma alegria”, ver a inauguração desta obra que surgiu através na “sequência de um investimento feito por nós em 2019 que teve a ver com a aquisição de equipamentos para a rodagens de filmes e que permitiu que, a partir de 2019, as sessões de cinema tivessem maior qualidade”.

A intervenção de remodelação de espaço consistiu na retirada de pisos e colocação de novos pisos, ainda se procedeu à colocação de mais cadeiras que permitiu que o espaço passasse a ter disponibilidade para cerca de 250 lugares sentados.

 A estrutura relacionada com a acústica e com a qualidade de som e luz, também sofreu alterações, criou-se ainda um espaço amovível, que permite que o próprio palco fique com outras dimensões. 

O autarca adiantou os próximos investimentos a realizar no município. “No próximo verão, teremos a inauguração de um outro espaço da biblioteca municipal, aqui no centro da vila, assim como, o nosso Mosteiro de Santo André de Ancede, também um outro investimento na freguesia de Santa Maria do Zêzere que se prende com a requalificação da própria Igreja e de um órgão de tubos que também tem no mesmo espaço”, constatou.

Em suma, o vice-presidente considera que este trabalho surge “na sequência de toda esta aposta que temos de ter na cultura que faz parte das nossas tradições e temos realmente de manter vivas as nossas tradições e inovar naquilo que também são os novos espetáculos que vêm pela frente”, concluiu.

O presidente da Junta de Freguesia de Campelo e Ovil, presente na inauguração, constatou que “é uma alegria muito grande para a freguesia e para o concelho”, ver a inauguração desta remodelação. “Vamos usufruir desta obra que tanto nos orgulha”, disse.

Esta empreitada da Câmara Municipal de Baião representou um investimento na ordem dos 415 mil euros, financiado em 85% por fundos comunitários e em 15 % por fundos da autarquia.

Artigo redigido com o apoio de Sara Ribeiro, aluna estagiária da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro