Paredes

Paredes lança "gps artístico-cultural para o concelho"

Ana Regina Ramos

04-06-2021

Foto: Município de Paredes

O município de Paredes lançou, na passada quarta-feira, dia 2 junho, o projeto Mappa - Música, Artes e Património em Paredes e inaugurou um Painel Azulejar do artista plástico Henrique Silva.

Este projeto de programação cultural em rede, uma espécie de "gps artístico-cultural para o concelho", privilegia os espaços ao ar livre e valoriza o património material e imaterial do território e desenvolve-se entre junho e outubro de 2021.

“Queremos criar públicos para a cultura. Queremos ter a Cultura a fervilhar aqui em Paredes”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Paredes, Alexandre Almeida, citado num comunicado da organização, destacando a descentralização das iniciativas culturais do Mappa, pois, além de Paredes, sede do concelho, durante cinco meses, a programação vai passar por Gandra, Lordelo, Baltar, Vilela, Rebordosa, Cete, Louredo e Sobrosa, entre outros locais.

“Cada vez mais é de sublinhar o trabalho em rede envolvendo os diversos agentes culturais, nomeadamente as nossas associações locais que dão um grande contributo para a diversidade cultural de Paredes e para o desenvolvimento de novas atividades culturais”, referiu.

Foto: Município de Paredes

“Vão existir muitas surpresas, isto para podermos atrair o denominado ‘público cultural’ ao concelho”, adiantou Beatriz Meireles, vereadora da Cultura da Câmara de Paredes, adensando a curiosidade suscitada pelo Mappa 21, "um projeto dentro do Projeto Cultural do município".

Pela Astro Fingido, entidade de quem depende a coordenação e conceção artística do Mappa 21, Fernando Moreira e Ângela Marques destacaram no todo a programação e referiram que "a circulação dos eventos pelo território é garantida" e que "a programação tem a colaboração de artistas e associações locais".

O objetivo principal do Mappa é "tornar mais fácil o acesso e a participação da população residente, assim como de turistas e visitantes, em práticas culturais e artísticas diversificadas, que promovam experiências diferenciadoras, em contextos de interação com o património cultural e natural do território", refere o comunicado.

Foto: Município de Paredes

Sobre a inauguração do Painel Azulejar do artista plástico Henrique Silva, foi organizada em forma de tributo pela Câmara Municipal de Paredes em conjunto com a companhia Astro Fingido. Incluiu "palavras de admiração e devoção ao artista e à obra que Henrique Silva deixa como legado aos vindouros, estando ainda vivo".

O artista nasceu em em Castelões de Cepeda há 87 anos, mas não pôde estar presente para assistir pessoalmente a esta homenagem.

Para Alexandre Almeida, “a homenagem ao mestre Henrique Silva é a melhor forma de perpetuar a obra do pintor que tem ligações familiares a Paredes”.

Assim sendo, através do painel de azulejo de Henrique Silva inaugurado na Casa da Cultura, a primeira ação do MAPPA, que na ocasião, Beatriz Meireles lembrou que "Henrique Silva estagiou com [Maria Helena] Vieira Silva" e que "uma forma de o homenagear é ter uma obra do artista instalada em pleno centro da cidade". Esse painel de azulejaria, da autoria do artista, passa agora a figurar em pleno jardim envolvente da Casa da Cultura.

Foto: Município de Paredes

Presentes no evento estiveram também Kiko Silva, filho de Henrique Silva e os representantes da Astro Fingido, Ângela Marques e Fernando Moreira, bem como Álvaro Azevedo, em representação da Cooperativa Árvore do Porto. Todos eles evocaram a figura e o percurso do homenageado nas suas intervenções. O labor na Cooperativa Árvore, as oficinas inéditas que aí dinamizou e a também estreita colaboração com a Bienal de Cerveira, foram de igual modo evocados.

"Investigação, inconformado, experimentalista, desafiador, são apenas algumas palavras que elevam o trabalho do meu pai a uma procura incessante e à contínua experimentação, onde, ao contrário do que seria de esperar, aí sim, encontra a sua zona de conforto. Não existe um Henrique Silva, existem múltiplos Henrique Silva", afirmou Kiko Silva.

Foto: Município de Paredes

Veja o calendário da programação do Mappa 21:

Junho

02 de JUNHO (quarta) 12H - INAUGURAÇÃO AZULEJARIA - HENRIQUE SILVA - Palacete da Granja/Paredes (Lançamento da Programação)

13 de JUNHO (domingo) 11H - INAUGURAÇÃO MUSEU MÓVEL - PATRICK HUBMANN - Parque José Guilherme/Paredes

19 de JUNHO (sábado) 21,30H - CONCERTO FALADO - NICKELHARPA - Mosteiro de Cete (Ângela Marques)

Julho

24 de JULHO (sábado) 21,30H- CONCERTO FALADO - GUITARRA - Vilela (Fernando Soares)

21 de JULHO (quarta) 18H - INAUGURAÇÃO MUSEU MÓVEL DA CIDADE - PATRICK HUBMANN - Gandra

Agosto

7 e 8 de AGOSTO (sábado e domingo) - TORNA-VIAGEM - MENA GIGANTE (8 apresentações)

14 de AGOSTO (sábado) 21,30H - CONCERTO FALADO - NICKELHARPA - Torre dos Alcoforados (Ângela Marques)

17 de AGOSTO (terça) 18H - INAUGURAÇÃO MUSEU MÓVEL DA CIDADE - PATRICK HUBMANN - Rebordosa

Setembro

06 de SETEMBRO (segunda) 18H - INAUGURAÇÃO MUSEU MÓVEL DA CIDADE - PATRICK HUBMANN - Lordelo (ATÉ 30/9)

10 de SETEMBRO (sexta) 21,30H - CONCERTO FALADO - GUITARRA - Baltar (Fernando Soares)

25 de SETEMBRO (sábado) 21,30H - TEATRO - O QUE FICOU - Quinta do Sobrado de Cima/Louredo

Outubro

08 de OUTUBRO (sábado) 21,30H - TEATRO - O QUE FICOU - Casa da Torre/Sobrosa