Foi apresentada esta semana a segunda edição do Rally Resende Douro Verde, que vai arrancar a 9 de abril.

Esta vai ser a segunda prova do recém-criado Campeonato Start Centro de Ralis, contando ainda para o 5º Desafio Kumho Portugal. A “Resende Street Stage”, que fechará o rali, é a grande novidade num traçado que utilizará os aclamados troços que foram utilizados em 2021.

As equipas inscritas vão reconhecer as especiais entre as 8h00 e as 12h00 e o Rally Resende Douro Verde arrancará em termos competitivos pelas 14h00, no Largo da Feira, em Resende. S. Martinho de Mouros/Paus 1 e 2 abrirão as hostilidades competitivas. O troço tem uma extensão de 8,37km e a dupla ronda tem horas previstas de arranque para as 14h40 e as 15h40, respetivamente.

Depois, a prova entra em sistema de ronda, com as passagens iniciais por Miomães/S. Romão (5,23km) e por Cárquere/Enxertado (7,96km) a serem realizadas às 16h25 e 16h40, sendo repetidas às 18h09 e 18h24.

Após um reagrupamento, será tempo de enfrentar a super especial urbana, que acontecerá já de noite, previsivelmente por volta das 20h00. Esta “Resende Street Stage” tem uma extensão de 2,2 km e será integralmente percorrida nas ruas da vila capital do concelho.

A cerimónia de entrega dos prémios decorrerá em frente aos Paços do Concelho de Resende.

O evento é organizado pelo Targa Clube, em parceria com o município de Resende e contando com o apoio local do Automóvel Clube Clássicos de Caldas de Aregos.

Foto: DR

Na abertura da apresentação oficial desta segunda edição, o presidente da Câmara Municipal de Resende, Garcez Trindade, deu conta da “enorme satisfação por ver que a edição inaugural recebeu a aprovação quer dos pilotos e dos aficionados, quer na Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, sendo disso prova a realização desta segunda edição, integrada num novo campeonato”, citou um comunicado.

“O nosso apoio ao rali assenta na forte aposta que a nossa autarquia vem fazendo na promoção do concelho e na dinamização do nosso tecido económico através da realização de eventos que atraiam pessoas a Resende”, saudando ainda “a possibilidade de quase uma dezena de pilotos do concelho irem participar, dando assim continuidade aos pergaminhos do desporto motorizado que sempre foi muito acarinhado no concelho”.

Garcez Trindade considerou ainda que “este rali tem tudo para ser cada vez melhor”, por isso, a vontade é de “manter a aposta nos anos vindouros”.

Fernando Batista, presidente do Targa Clube, fez a apresentação oficial da prova, referindo que o clube organizador decidiu “mexer muito pouco na estrutura da prova”. “Na realidade, apenas adaptámos a prova à filosofia regulamentar do novo campeonato Start, que obriga os clubes cujas provas integram essa tipologia de campeonatos a fazer com que todo o evento decorra em menos de 16h00, desde as verificações técnicas e administrativas ao pódio final”, disse.

O dirigente destacou ainda “a novidade da super especial final”, que espera que seja “muito atrativa para as equipas e para o público”. “No que respeita ao resto do traçado, mantivemos praticamente o mesmo figurino, até porque as equipas que participaram na primeira edição consideraram que este rali é um dos mais belos e desafiantes que já fizeram”, concluiu.

Foto: DR