Amarante, Baião e Marco de Canaveses vão ser palco, nos dias 15 e 16 de abril, da edição de 2022 do Rali Terras D’Aboboreira. A terceira prova do Campeonato de Portugal de Ralis (CPR), e também integrante nos calendários do FIA European Rally Trophy e do ERT Iberian Rally Trophy, conta com a participação de vários pilotos estrangeiros e com um formato cujas classificativas têm “um traçado inédito”.

António Jorge, presidente do Clube Automóvel de Amarante, garantiu que “não há uma única classificativa igual à do rali de 2021”, quando fala sobre a estrutura da prova, delineada por ele próprio, com uma estratégia assente em selecionar “o melhor que cada um dos três concelhos do território da Aboboreira tem para oferecer, em termos de potencialidades. E a riqueza e diversidade de tão vasto território, dadas as versões diferentes de classificativas em piso de terra amplamente conhecidas como Baião, Amarante, Marão ou Aboboreira, permitiram desenhar um rali renovado”.

Com 103,53 quilómetros de troços cronometrados, divididos por um total de nove provas especiais de classificação (101,46 km em terra), de acordo com a organização, o rali deverá,também pelas caraterísticas dos troços cronometrados e à semelhança dos anos anteriores, “bastante competitivo, com a emoção a manter-se até aos derradeiros quilómetros. Neste caso, os da ‘especial’ da Aboboreira que foi eleita como Power Stage da prova e vai permitir aos pilotos mais rápidos dos CPR amealhar pontos extra no campeonato”.

A exemplo das últimas edições, o Rali Terras D’Aboboreira irá contar, à partida. com vários pilotos estrangeiros, designadamente WRC2 e WRC3, que têm como objetivo preparar a sua participação para o Vodafone Rally de Portugal. “O Clube Automóvel de Amarante já foi contactado por diversas equipas internacionais que estarão prestes a formular a sua inscrição e cujos nomes serão dados a conhecer em tempo oportuno. Esta presença de pilotos de outros países constituirá um fator de interesse acrescido à terceira prova da temporada do CPR e vinca o cariz internacional do rali que tem como pano de fundo o Marão e a Serra D’Aboboreira”, foi referido.

A promoção do território é “a pedra angular” do Rali Terras D’Aboboreira, “cuja realização só é possível graças ao apoio e à congregação de esforços dos municípios de Amarante, Baião e Marco de Canaveses, região com interesses e património comuns”, foi ainda descrito, em comunicado.

José Luís Gaspar, presidente da Câmara Municipal de Amarante, destacou que “o facto de ser uma prova organizada em parceria com os dois municípios que partilham com Amarante a Serra D’Aboboreira, Baião e Marco de Canaveses, engrandece-a e demonstra a sua importância no contexto regional. Um ano depois de ter sido apontado como destino a não perder em Portugal, entre 21 países, pelo jornal The Guardian, Amarante continua a dar provas de vitalidade e juventude, mostrando-se renovada ao mesmo tempo que homenageia a sua história”.

Já Filipe Fonseca, vice-presidente da Câmara Municipal de Baião, defendeu que o Rali Terras D’Aboboreira é “um evento que projeta a nossa região e constitui também um excelente exemplo de parceria e do estabelecimento de sinergias entre os três municípios, Baião, Amarante e Marco de Canaveses. E vem reafirmar, ainda mais, o potencial turístico da região junto de milhares de visitantes e adeptos da modalidade. O rali será um atrativo para os amantes da velocidade descobrirem a nossa gastronomia riquíssima, paisagens encantadoras e um património cultural de grande valor”.

Por fim, o vereador com o Pelouro do Desporto da Câmara Municipal de Marco de Canaveses, Paulo Couto, frisou que “nos anos mais recentes, Marco de Canaveses tem apostado em grandes eventos desportivos como estratégia de promoção e divulgação do território e este rali é uma das provas cabeça de cartaz. O que queremos é que quem venha ao Marco, e neste caso também a Amarante e Baião, usufrua das nossas paisagens naturais – e o rali vai proporcionar isso mesmo –, mas que depois também aproveite para conhecer um pouco mais sobre a nossa gastronomia e vinhos, sobre a nossa oferta cultural que está cada vez mais atrativa, os nossos monumentos e museus, etc. Eu diria que a aposta numa prova destas tem um impacto económico que sentimos de imediato, mas depois tem também um impacto reputacional para o concelho que continuará a trazer ganhos no futuro”.

Conheça o programa do rali

SEXTA-FEIRA (15 abril)

Free Practice em Vila Boa de Quires (3,47 km) – 08h00/09h00

Qualifying – Vila Boa de Quires (3,47 km) – 09h30/10h00

Shakedown (Prioritários) – 10h30/11h00

Shakedown (Outros pilotos) – 11h00/12h30

Partida (Baião) – 16h00

PEC 1 – Baião Vida Natural 1 (8,92 km) – 16h30

Reagrupamento em Baião (Entrada) – 17h00

Reagrupamento em Baião (Saída) – 18h00 

PEC 2 – Baião Vida Natural 2 – 18h10

Reagrupamento no Marco de Canaveses (Entrada) – 19h30

Saída do reagrupamento – 21h05

PEC 3 – Marco Rios de Emoção (2,07 km) – 21h30

Parque de Assistência (Entrada) – 22h15

Parque Fechado (Entrada) – 23h03

SÁBADO (16 abril)

Partida do Parque de Assistência (Metalocardoso) – 08h55

PEC 4 – Amarante Natureza Criativa 1 (15,14 km) – 10h00

PEC 5 – Marão 1 (10,67 km) – 11h00

PEC 6 – Amarante Natureza Criativa 2 – 12h20

Parque de Assistência (Entrada) – 13h15

Parque de Assistência (Saída) – 14h30

PEC 7 – Aboboreira 1 (16,00 km) – 15h20

PEC 8 – Marão 2 – 16h20

PEC 9 – Aboboreira 2 (POWER STAGE) – 18h45

Parque de Assistência (Entrada) – 19h45

Parque de Assistência (Saída) – 19h55

Final em Amarante (Ponte de São Gonçalo) – 20h10