Em entrevista a Jornal da Meia-Noite da Sic Notícias, Carlos Robalo Cordeiro, Diretor do serviço de Pneumologia do Hospital da Universidade de Coimbra, esclarece que o Paxlovid, o primeiro antivírico de toma oral contra a COVID-19, aprovado pela Agência Europeia do Medicamneto, “tem eficácia em pessoas em risco de desenvolver doença grave, com fatores de risco”.

O especialista explica, à referida fonte, que o medicamento “funciona através da eficácia na replicação viral e que previne a hospitalização e doença grave, por exemplo, em pessoas com doenças oncológicas e transplantados, alertando que “são medicamentos que devem ser utilizados muito precocemente, após o início dos sintomas” e que podem ser tomados “duas vezes por dia durante cinco dias”, reforça

Carlos Robalo Cordeiro esclarece que os medicamento não vão ser vendidos na farmácia, “pelo menos nesta fase”, ficando apenas disponíveis para “pessoas com risco de desenvolver doença grave”.

Recorde-se que a Agência Europeia do Medicamento (EMA) autorizou ontem, dia 27 de janeiro, a comercialização do primeiro antivírico de toma oral contra a COVID-19, denominado Paxlovid, nos países da União Europeia.