O PSD Marco de Canaveses emitiu esta quinta-feira, dia 8 de setembro, um comunicado no qual exige um pedido de desculpas de Cristina Vieira, presidente da Câmara Municipal de Marco de Canaveses, aos marcoenses face aos mais recentes acontecimentos acerca da retirada de funções do vice-presidente, Mário Bruno Magalhães.

“A troca de graves acusações entre a presidente e o vice-presidente comprovam que a Câmara Municipal sempre foi o teatro de fachada para o qual o PSD alertou desde 2017. Prova disso são as conferências de imprensa dadas pelos protagonistas de mais uma vergonha para o qual o nome de Marco de Canaveses é agora arrastado”, escreve a comissão política do PSD Marco.

Nas suas declarações, Mário Bruno Magalhães, ao afirmar que não é “submisso” nem “subserviente”, refere que foram tomadas pelo executivo determinadas decisões “forçadas”, pondo em causa “o melhor para o município”. A comissão política do PSD Marco manifesta “a sua preocupação acerca de tais decisões que não colheram o genuíno acordo entre os vereadores da maioria socialista e acerca dos impactos que estas podem ter no orçamento municipal”.

O facto de também ter referido que “nunca recebeu mais que o seu salário” e que “jamais alinharia em outras situações” “põe em causa a seriedade e idoneidade deste executivo na pessoa da presidente Cristina Vieira, temendo que a legalidade plena das suas funções não esteja a ser cumprida”.

Por outro lado, Cristina Vieira acusa Mário Bruno Magalhães de ser “mentiroso, cobarde, falta de carácter, de falta de lealdade”, e de “assumir compromissos” com os marcoenses sem o seu aval. O PSD Marco de Canaveses manifesta “a sua preocupação acerca desses tais compromissos que terão sido assumidos quer pelo vice-presidente sem o aval da presidente, quer pela própria presidente, perante os marcoenses, instituições, associações, e que são um profundo desrespeito pela honra de todos aqueles que lhes confiaram o seu voto na expectativa de verem os seus problemas resolvidos”.

Assim, o PSD Marco vem destacar que a Câmara Municipal de Marco de Canaveses, “com cerca de 700 funcionários e 40 milhões de euros de orçamento, exige um executivo municipal competente, responsável e que ponha os interesses dos marcoenses acima de quaisquer outros”.

“Cristina Vieira e o PS demonstraram mais uma vez que não têm capacidade para gerir a autarquia, arrastando para a esfera pública do município as lutas internas pelo poder no Partido Socialista, prejudicando assim a transparência que se exige de um verdadeiro presidente de Câmara Municipal”, comentou Francisco Sousa Vieira, presidente da concelhia do PSD.

A comissão política do PSD Marco exige que Cristina Vieira “peça desculpa a todos os marcoenses pela falta de capacidade em honrar o seu projeto político, desde logo porque menos de um ano depois da sua eleição, a câmara municipal apresenta um executivo desfalcado, transformado e descaracterizado”.

“Com mais uma atitude autocrática de Cristina Vieira, que retira todos os pelouros àquele que seria o seu vereador com maior conhecimento dos dossiers – talvez até com maior conhecimento que a própria presidente -, teremos o maior orçamento de sempre a ser gerido por um executivo sem experiência autárquica, quando isso não deveria acontecer num segundo mandato em que se pedem reformas e medidas que alavanquem o desenvolvimento da nossa terra”, pode ler-se no comunicado.

O PSD Marco de Canaveses exige ainda que o PS, Cristina Vieira, Mário Bruno Magalhães e os seus autarcas digam “toda a verdade sobre a origem de tão dramáticas divergências dentro do executivo municipal, a bem da transparência democrática e do bom nome do município”.

A comissão política do PSD Marco assume, contudo, que “manterá a sua atitude responsável de oposição construtiva, baseada numa relação de respeito institucional com todos os partidos, mas convictos de que só o PSD tem condições para governar um projeto de futuro que melhore a vida dos marcoenses”.