Numa época do ano em que é comum acender a lareira para aquecer a casa, o Serviço Municipal de Proteção Civil do Marco de Canaveses deixa um alerta a toda a população.

De acordo com a mensagem deixada pelo município, através das redes sociais, este tipo de incêndios acontecem “devido à acumulação no interior da chaminé de uma substância altamente inflamável chamada creosoto (fuligem da chaminé), que se forma pela condensação dos fumos e vapores da combustão da madeira”.

O processo pode tornar-se “ainda mais perigoso, se as lareiras forem utilizadas para cozinhar determinados alimentos, como grelhar carne ou peixe que emanam vapores gordurosos que ao aderirem ao creosoto o tornam ainda mais inflamável”, acrescenta a autarquia.

O risco de incêndio pode ser “significativamente” diminuído se existir uma “eficaz manutenção da chaminé, particularmente a sua limpeza periódica por pessoas credenciadas para executar esse trabalho”, pode ler-se na mesma mensagem.

Veja no vídeo seguinte a mensagem de Bruno Monteiro, Coordenador do Serviço Municipal de Proteção Civil do Marco de Canaveses.