A Câmara Municipal de Cinfães, em articulação com o Alto Comissariado para as Migrações, recebeu esta semana as primeiras famílias ucranianas que fugiram do conflito provocado pela Rússia. 

De acordo com a autarquia, durante os próximos dias “aguarda-se a chegada de mais. Estes juntam-se à jovem, filha de dois ucranianos que já foram emigrantes em Portugal, com passagem por Cinfães, e que foi acolhida por uma família cinfanense já há cerca de um mês”.

O município anunciou ainda que disponibiliza “apoio logístico, transporte, alojamento, mobiliário e equipamentos, alimentação e meios informáticos. A câmara assegura ainda a integração de crianças e jovens no sistema educativo, acesso ao sistema de saúde, apoio social (serviços de atendimento social da Segurança Social e do município), apoio jurídico e inserção profissional de adultos. Numa parceria com os agrupamentos de escolas, o município garante, igualmente, o ensino da língua portuguesa”, foi explicado.

As famílias acolhidas ficaram alojadas em habitações cedidas por famílias cinfanenses através do banco de casas e alojamento criado pelo município para acolher refugiados ucranianos. A câmara assume as despesas de luz, água e gás enquanto as famílias permanecerem nas habitações.

A autarquia reforça o apelo a todos os cinfanenses e residentes no concelho de Cinfães, “que tenham condições para ajudar através da disponibilização de alojamento em segunda residência, que façam a sua inscrição no banco de alojamento, no site do Município ou através do Gabinete de Apoio ao Presidente”.