Paulo Pereira, presidente da Câmara Municipal de Baião, e Alexandre Almeida, autarca de Paredes, foram nomeados para integrar a Comissão Distrital de Proteção Civil do distrito do Porto. 

“Esta nomeação acarreta uma maior responsabilidade para a ação que o município de Baião venha a ter neste importante domínio da Proteção Civil. Somos o concelho mais verde do distrito do Porto, com 68 por cento de áreas verdes e florestais e temos vindo a acompanhar, de forma próxima, e dedicada, todas as matérias ligadas à proteção e defesa da floresta, ao combate a incêndios e acima de tudo à defesa das populações contra riscos que possam surgir na nossa comunidade. Isso não seria possível sem um diálogo produtivo e próximo com os agentes de proteção civil do nosso território e da região”, afirma Paulo Pereira.

“Entendo que é importante estar nessa Comissão, uma vez que o concelho de Paredes é dos concelhos da Área Metropolitana do Porto com maior área de floresta e, como tal, o Risco de Incêndio em Paredes é elevado. Para além disso, Paredes é o município com maior área florestal da Associação Intermunicipal das Serras do Porto. Por estas razões, acompanhar mais de perto os trabalhos desta Comissão Distrital e poder dar um contributo ativo e presente é muito importante para Paredes e para a Área Metropolitana do Porto”, declara Alexandre Almeida, referindo que esta já é a sua segunda nomeação para esta comissão.

A nomeação acontece na sequência das eleições autárquicas realizadas em setembro de 2021 e a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) escolheu três presidentes de Câmara para integrarem a Comissão, Paulo Pereira, de Baião, Marco Martins, autarca de Gondomar (preside à Comissão), e Alexandre Almeida, presidente da Câmara Municipal de Paredes.

A Comissão Distrital de Proteção Civil é responsável pela elaboração dos planos distritais de emergência e acompanha as políticas diretamente ligadas ao sistema de proteção civil, promovendo o acionamento dos planos de emergência e a realização de exercícios, simulacros e treinos operacionais que contribuam para a eficácia de todos os serviços intervenientes.

Até ao final do primeiro trimestre deste ano deverá começar a instalação, na Casa de Chavães, em Baião, do Comando Sub-Regional de Proteção Civil que irá abranger os 11 concelhos do Tâmega e Sousa, de acordo com um comunicado da autarquia de Baião. Esta estrutura corresponde a um centro de comando, com técnicos especializados que farão a primeira resposta e comando de meios para ocorrências dentro do espaço do Tâmega e Sousa.

Texto redigido com o apoio de Sofia Gomes, aluna estagiária da Universidade de Trás-Os-Montes e Alto Douro.