No âmbito da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM-TS), o presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, está a participar em várias ações na bio-região de Cilento, no Sul de Itália.

O objetivo desta deslocação, que integra diversos presidentes de câmara, membros do executivo dos municípios e responsáveis da CIM-TS, “prende-se com o processo que visa a integração da nossa região na rede internacional das bio-regiões e acontece na sequência do convite da IN.N.E.R. – International Network of Eco Regions, entidade responsável pelo processo de certificação das bio-regiões”, indica o município em comunicado.

O programa prevê um conjunto de ações até ao dia 23 de setembro e que conta, além da CIM-TS, com representações de outras entidades nacionais, tais como, a Associação de Municípios do Baixo Sabor, a Bio-Região do Alto Tâmega, a Bio-Região de Idanha-a-Nova, a Bio- Região de São Pedro do Sul, a Câmara Municipal de Câmara de Lobos, o Centro de Desenvolvimento e Inovação Sociocultural e Agroflorestal, a Trybio – Associação de Produtores e Consumidores de Agricultura Biológica e a Universidade da Madeira.

O presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, destaca o interesse da visita para a região do Tâmega e Sousa, sublinhando que “no nosso concelho, enquanto primeiro município português certificado pela EarthCheck, como Destino Turístico Sustentável, há já um grande trabalho desenvolvido e em desenvolvimento que vai ao encontro dos princípios que regem o conceito de bio-região”.

Por isso, o autarca reforça que Baião tem, neste processo, “um papel de grande relevo com vista à concretização do objetivo da CIM-TS”. Por outro lado, este contato com uma bio-região, “é também uma oportunidade para a nossa região e, naturalmente para Baião, ficar a conhecer as formas de interação das diversas entidades envolvidas com vista à gestão sustentável dos recursos locais, tendo por base o modelo biológico quer de consumo, quer de produção”.

A bio-região de Cilento, constituída em 2004, é composta por 41 municípios, contando com 270 mil habitantes, dos quais mil são produtores biológicos.