Portugal tem, este domingo, dia 30 de janeiro e das eleições legislativas, entre 671.500 e 783.600 eleitores isolados devido à pandemia da COVID-19.

Os dados foram avançados pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e referidos no site da Lusa.

A DGS explicou que “o número de pessoas infetadas nos últimos sete dias foi de, aproximadamente, 390 mil (com 18 ou mais anos, 271.800) e nos últimos 10 dias 552.200 (com 18 ou mais anos, 383.900), pelo que o número de pessoas isoladas situa-se entre estes dois valores”. As pessoas com estado de vigilância ativa no sistema, com indicação para isolamento profilático, “correspondem a cerca de 624.600, das quais 399.700 com 18 ou mais anos”.

“O valor de casos ativos apresentado no boletim de hoje, dia 30 de janeiro – cerca de 597.800 – corresponde ao número de pessoas infetadas que ainda não têm o estado de recuperado registado no sistema. No entanto, o estado de recuperação pode não corresponder exatamente ao momento em que o caso deixa de estar em isolamento. Esta diferença ocorre porque o certificado de recuperação é emitido 11 dias após a realização de teste laboratorial de diagnóstico com resultado positivo, enquanto que, na maioria dos casos, em que as pessoas não têm sintomas ligeiros ou são assintomáticas, são cumpridos sete dias de isolamento”, esclarece.

De acordo com o Ministério da Administração Interna, mais de 4,9 milhões de eleitores tinham votado até às 16h00, representando 45,66% dos 10.820.337 eleitores inscritos.