O Teatro Municipal do Rivoli, no Porto, vai receber a nona edição da MICAR (Mostra Internacional de Cinema Anti-racista) nos dias 7, 8 e 9 de outubro.

O evento é organizado anualmente pelo SOS Racismo desde 2014 e pretende levar “ao grande ecrã filmes em que as questões do racismo, das migrações e do combate à extrema-direita ocupam o espaço da tela enquanto se abre o palco para importantes debates em que se discutem as discriminações, as violências que estas carregam e a construção de uma sociedade mais justa”, explica nota de imprensa da MICAR.

Na noite do dia 7, será exibido o filme “Alcindo”, de Miguel Dores, premiado no Doclisboa em 2021, e em estreia no Porto. O momento irá contar com o realizador para um debate no final.

No dia 8, às 21h15, o Rivoli recebe o filme “Espero tua (Re)volta”, da realizadora brasileira Eliza Capai. Este momento é considerado “importante para ler algumas das tensões atuais da democracia brasileira e contará no final com a participação, em debate, do músico Luca Argel”.

No dia 9, as questões do Brasil voltam a estar presentes às 19h15 a partir do filme “Fordlândia Malaise”, de Susana Sousa Dias, numa sessão que contará com a presença, em debate, da realizadora.

No dia 7 ainda, regressa o “Micarzinha”, secção dedicada aos públicos infantis e juvenis. Às 18h15, será homenageada a Sidney Poitier, durante a exibição do filme “Adivinhem quem vem jantar”, de Stanley Kramer.

No dia 8, será exibido a “Distopia”, de Tiago Afonso, às 17h15, e o “Tarrafal”, de Pedro Neves, às 19h15. No dia 9, será a vez do filme “Jamaika”, de José Sarmento Matos, às 15h15. Nos três casos será possível contar com a presença dos realizadores.

A programação completa pode ser consultada através do site.

As sessões são gratuitas, mas sujeitas a levantamento de bilhete, mediante lotação da sala, no próprio dia (no máximo de dois bilhetes por pessoa por sessão), a partir da abertura da bilheteira do Teatro Rivoli e na bilheteira online).

Texto redigido com o apoio de Daniela Lenchyna.