Depois da estreia no Campeonato de Portugal de Ralis, em Fafe, o piloto de Lousada vai marcar presença na edição deste ano do PTRX, Campeonato de Portugal de Ralicross, na prova inaugural que se disputará no próximo fim de semana, 2 e 3 de abril, no Circuito Internacional de Montalegre.

Aos comandos de um Citroen Saxo S1660, o piloto vai competir na considerada “divisão rainha” do PTRX e por isso, Luís Morais confessa que a equipa “não tem objetivos muito ambiciosos. O carro é bom, mas não é dos mais competitivos e o orçamento que dedicaremos ao ralicross é dos mais reduzidos entre todos os que estarão na Divisão S1600”, sublinha.

Luís Morais. Foto: OMS Rally Fotos

Na prova que se avizinha, Luís Morais revela que o PTRX “não é o foco em 2022”. O objetivo está “em dar continuidade ao resultado fabuloso” que alcançou em Fafe, onde navegado por Helena Maia, “conduziu o Peugeot 208 Rally4 ao pódio nas duas rodas motrizes nas contas do CPR”, alcançando também o quinto lugar na Peugeot Rally Cup Ibérica.

O piloto desloca-se a Montalegre “com o sentimento de diversão”, num traçado que considera “espetacular e que mete respeito nas suas exigentes curvas em terra e com corretores altos e perigosos, mas vai ser ótimo estar mais uma vez numa corrida assim”.

Foto: OMS Rally Fotos

O ralicross é uma “grande paixão” para o piloto de Lousada, que cresceu “a ver grandes provas na Pista da Costilha. Sempre gostei da emoção de estar a lutar em pista lado a lado e, sempre que puder, irei correr nesta fantástica modalidade, contribuindo para um campeonato que cresceu muito em 2021”, confessa.

Luís Morais agradece “a toda a equipa e amigos” que o acompanham “nesta aventura”, mas “sobretudo à família que me apoia para conseguir atingir os meus objetivos”.

São sete as provas que compõem o calendário do Campeonato de Portugal de Ralicross de 2022, com Baltar a apresentar-se como estreia, e a Taça a ter lugar em Lousada.