Num balanço do último ano, o piloto do Honda 99, Sérgio Pinto revela que em 2022, teve uma época “difícil”.

O piloto de Meinedo, concelho de Lousada, começa por afirmar que “na realidade esta foi uma época difícil, porque surgia sempre alguma coisa com o carro sob o ponto de vista técnico”. Problemas que “não nos permitiu fazer mais e melhor”, garante.

Resultado dessas questões técnicas, a equipa foi “obrigada a desistir. Por isso, este foi um ano para esquecer em termos de resultados. Tanto esforço, para tão poucos resultados, mas as corridas de automóveis são assim mesmo, não há nada a fazer”, acrescentou.

Devido a estes problemas, a equipa optou por “não se inscrever para a última jornada, que teve lugar no autódromo do Estoril”, concluiu Sérgio Pinto.

Como explica em comunicado, o Honda numero 99 “está todo desmontado, a ser alvo duma profunda revisão, para que 2023 seja o regresso aos grandes resultados”.

Para a nova época Sérgio Pinto garantiu que “é para continuar, pode ser o mesmo Honda. Posso dizer que vai ter uma nova decoração, e para já nada mais posso adiantar, talvez para finais de Fevereiro possa ter algo mais palpável, mas para agora é apenas isto”, concluiu.