Esta quinta-feira, dia 3 de março, foi altura de festa em Penafiel. Há 252 anos, a vila de Arrifana de Sousa foi elevada à categoria de cidade de Penafiel e o município marcou a data com a entrega de diversas distinções, sendo a maior parte na área do desporto.

“É, de facto, um orgulho muito grande para nós, penafidelenses, termos tantos atletas com tanto sucesso e a brilhar nas mais diversas modalidades e achamos que este dia deve também servir para isso para os homenagear, para dar a conhecer esses seus feitos para, dessa forma, inspirar outros atletas e, sobretudo, os mais jovens para a importância da prática do desporto e como vale a pena fazer esforço e sacrifício porque o mérito acaba sempre por se evidenciar”, explicou Antonino de Sousa, presidente da Câmara Municipal de Penafiel.

O autarca destacou que, no concelho, há mais de 2.000 atletas federados e mais de 1.600 jovens em formação desportiva, a praticar mais 20 modalidades desportivas em cerca de 70 clubes, tendo disponíveis 80 infraestruturas desportivas.

A cerimónia contou com a atribuição de medalhas honoríficas. Receberam as medalhas de Ouro do Concelho de Penafiel: Almiro Óscar Mateus, “pelas relevantes funções que exerceu e pelos extraordinários serviços que prestou a Penafiel e aos penafidelenses, revelando sempre uma excecional generosidade e um invulgar serviço à comunidade, que muito honra e prestigia esta cidade e concelho”; Maria Luísa da Costa Sampaio, “pelas relevantes funções que exerceu e pelos extraordinários serviços que prestou a Penafiel e aos penafidelenses, revelando sempre uma excecional generosidade e um invulgar serviço à comunidade, que muito honra e prestigia esta cidade e concelho”; e a Associação Recreativa Novelense, “pelo relevante desempenho em diversos domínios sociais, com especial destaque para o desporto, bem como o prestígio que granjeou para Penafiel e para os penafidelenses, com as inúmeras e extraordinárias conquistas desportivas”.

Já as Medalhas de Mérito Municipais Douradas foram entregues a: António Gomes de Sousa, “pela dedicação à área da cultura, com destaque para as letras, desempenho que dignificou e prestigiou o Município de Penafiel”; Adão Francisco da Silva Pinto, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”; Diana Patrícia Loureiro Sousa, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”; Hélder Fernando Ferreira da Rocha, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”; João Pedro Santos Aguiar de Sousa, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”; Manuel Luís Campos Ferreira, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”; Maria Inês Coelho de Barros, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”; Marisa Alexandra da Rocha Vieira, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”; Micael Humberto Rocha Moreira, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”; Paula da Silva Barbosa, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”; Pedro José Magalhães Moura, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”; Rui Filipe Ribeiro Carvalho, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”; Rui Pedro da Rocha Fonte, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”; e Tiago André Rodrigues Leal, “pelo desempenho desportivo e relevantes títulos conquistados, que contribuíram para o prestígio do Município de Penafiel”.

Durante a cerimónia de festa e repleta de personalidades e cidadãos do concelho, foi, contudo, evocada “a luta heroica do povo ucraniano”, no âmbito do conflito vivido com a Rússia. “Uma data que é tão relevante como esta – os 252 anos da nossa cidade -, que reúne as referências da nossa cidade e do nosso concelho, cidadãos honorários, instituições honorárias, uma data que celebramos sempre com muita emoção, mas não conseguimos nem podíamos passar ao lado desta tragédia que está a acontecer aqui bem próximo de nós, na Europa”, disse Antonino de Sousa, lembrando que são mais de cem os ucranianos que vivem em Penafiel e manifestando “solidariedade a eles e aos seus familiares” e disponibilidade para acolhê-los e lhes dar “todo o apoio nesta circunstância tão difícil”.

“Há dois anos comemorávamos, precisamente neste local, os 250 anos da nossa cidade, então ensombrados pela maior pandemia e crise sanitária que nos foi permitido conhecer ao longo dos nossos dias. Dois anos depois, comemoramos o novo aniversário novamente ensombrados, atordoados com os ecos das bombas, da morte e da dor às portas da Europa. Um ataque aos pilares da democracia, da liberdade, da paz, dos valores pelos quais a nossa civilização tanto lutou após a segunda guerra mundial e que é a melhor herança que recebemos dos nossos pais, a melhor que podemos entregar aos nossos filhos”, declarou Alberto Santos, presidente da Assembleia Municipal de Penafiel. Na última sessão da Assembleia Municipal, “todos os grupos municipais que a integram aprovaram, por unanimidade, uma moção pela qual repudiavam veementemente esta invasão, esta agressão determinada por um senhor chamado Vladimir Putin”.

Acerca do futuro para o concelho, o Antonino de Sousa garantiu que “o empenho é absoluto e a determinação incondicional para que os compromissos assumidos com os penafidelenses sejam devidamente concretizados” e, por isso, referiu que já foram iniciados os procedimentos para que algumas das medidas mais emblemáticas do programa eleitoral comecem a ser implementadas, quer no domínio da saúde, social, da habitação e da mobilidade. Além disso, manifestou também vontade para que, depois de dois anos a viver uma pandemia, o “calendário de eventos muito forte” do concelho possa regressar.