O Pavilhão Ernesto Silva, em Paredes, recebeu, esta quinta-feira, dia 24 de março, um DAE – Desfibrilhador Automático Externo.

A autarquia comparticipou a aquisição do equipamento e a Cruz Vermelha ministrou uma formação em Suporte Básico de Vida com Desfibrilhação Automática Externa, informa um comunicado da Casa do Povo de Sobreira. Diretores, seccionistas e treinadores das modalidades de Andebol, Hóquei em Patins e Patinagem Artística adquiriram as competências técnicas necessárias e a devida certificação do INEM para executar Suporte Básico de Vida e utilizar o equipamento que pode salvar vidas. No total, nesta primeira fase, foram nove as pessoas que receberam a formação e respetiva certificação, “permitindo assegurar uma resposta rápida em situações de paragem cardiorrespiratória”.

Foto: Casa do Povo de Sobreira

A cerimónia de entrega do equipamento contou com a presença do vereador com o Pelouro do Desporto da Câmara Municipal de Paredes, Renato Almeida, o presidente da Junta de Freguesia de Sobreira, João Gonçalves, Catarina Nogueira, presidente da Mesa da Assembleia de Freguesia da Sobreira e com a delegada especial da Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação da Sobreira, Alberta Rodrigues.

“A segurança de toda a comunidade que frequenta as nossas instalações é fundamental”, refere António Leão, membro da Comissão Administrativa da Casa do Povo de Sobreira.

“Quero parabenizar a Comissão Administrativa pela sua dinâmica e consciencialização em colocar um equipamento que garante uma maior segurança e bem-estar aos seus atletas”, salientou Renato Almeida.

Foto: Casa do Povo de Sobreira

“Apesar dos Desfibrilhadores Automáticos Externos ainda não serem obrigatórios por lei, em recintos desportivos com lotação inferior a cinco mil pessoas, a Casa do Povo de Sobreira considera um elemento importante para segurança dos utilizadores dos equipamentos”, refere ainda o documento.

O desfibrilhador automático externo é “um equipamento utilizado na reanimação de vítimas de paragem cardiorrespiratória, que, através de um choque elétrico potente no tórax é capaz, em bastantes situações, de reverter a paragem do coração até à chegada de uma ambulância com suporte básico de vida”.