A 57ª edição do evento decorre até ao próximo domingo, dia 10, em Lisboa e reúne cerca de 40 empresas do setor do mobiliário e decoração.

As portas do pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa, abriram-se para a 57ª edição da Capital do Móvel. O evento foi inaugurado na quarta-feira, dia 6 de julho, e contou com a presença de Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão Territorial, Samuel Santiago, presidente AEPF que organiza o certame, e Humberto Brito, presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira.

A representante do Governo teve a oportunidade de visitar a feira e agradeceu a manhã de “trabalho e de aprendizagem. A primeira palavra é de gratidão pelo trabalho que tem sido desenvolvido no setor, em especial aos empresários. É o exemplo do que precisamos no nosso país: arrojo, ousadia, ambição e a vontade de quer fazer mais. Foi isso que senti durante a visita”, afirmou Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão Territorial.

Segundo Samuel Santiago, presidente da AEPF, “é crucial o envolvimento das empresas em projetos e iniciativas que permitirão potencializar os processos de transferência de conhecimento que são fulcrais para reforçar a capacidade competitiva e melhorar os processos criativos do nosso tecido empresarial”. O representante da AEPF acredita, por isso, que “a união das empresas é fundamental, uma vez que trabalhar em conjunto é contribuir para o progresso socioeconómico do país e da região”.

Já Humberto Brito, presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, salientou a importância do evento para a divulgação e apoio no trabalho do setor: “Este é um trabalho muito importante, porque permite que as nossas empresas estejam mais próximas do consumidor”

O certame reúne, nesta edição, cerca de 40 empresas do setor do mobiliário e decoração, e prolonga-se até ao próximo domingo, dia 10 de julho.