Publicidade

Professor Coelho, como assim era e é conhecido, foi o tutor e professor de diversas gerações. Todos os anos, um grupo de ex-alunos reúnem-se para homenageá-lo. Mesmo depois do seu falecimento.

António Vieira Coelho de Sousa, ou como é e era conhecido, Professor Coelho, foi o professor de centenas de alunos e de muitas gerações. Às vezes completando as linhagens: professor do avô, do pai e do filho. E de irmãos, tios e primos pelo caminho.

A sua fama é grande em Alpendorada, Várzea, Torrão e Matos. Mas entende-se aos arredores, indo até ao Marco de Canaveses e freguesias e concelhos limítrofes. Além de professor, era grande devoto da religião católica, sendo conhecido também por esse meio. Mesmo depois de aposentado da profissão de professor, foi catequista. O que ajudou na extensão da linhagem ao chegar aos netos também. Chegou a todos. Era amigos de padres e bispos. Tido sempre em alta consideração.

O marco que deixou na vida dos seus educandos foi tão grande que, há cerca de 11 anos, um grupo de ex-alunos, organizado por Zeca Pinheiro e o Dr. Mário Luís, decidiu preparar um jantar em homenagem ao professor. Nessa noite, o convívio entre professor e alunos era quase parecido ao da sala de aula, com mais descontração e animação. O jantar repetia-se todos os anos.

A 6 de abril deste ano, o Professor Coelho faleceu. Repentinamente. Sem doença ou sem qualquer indício de que estaria mal. Chocou a todos. O seu velório e funeral foram extensos. E recheados de gente. Todas as pessoas que tiveram a oportunidade de, pelo menos, trocar uma palavra com ele estiveram presentes. Às notícias da sua morte, houve quem dissesse que “um pedaço de Alpendorada se foi” e “uma parte de Alpendorada partiu”. A perda foi abrangente. Alpendorada sentiu.

Apesar da sua partida, a sua imagem e espírito mantém-se. Esses seus ex-alunos continuam a não esquecer. E, três meses do seu falecimento, neste mês de julho, o mesmo grupo de alunos que costumava organizar o jantar com o professor, não deixam a tradição em vão. Com consulta da família e pedidos para a mulher e filhos do Professor Coelho estarem presentes, o mesmo jantar anual, vai decorrer. Sem o Professor, mas com o seu espírito.

Artigo de opinião de Júlia Coelho