A Operação Natal e Ano Novo da GNR registou 4.365 acidentes, no período de 13 de dezembro de 2021 a 2 de janeiro de 2022.Nestes acidentes, registaram-se 21 vítimas mortais, 80 feridos graves e 1.182 feridos leves.

Neste período, assinalaram-se ainda 1.213 detenções, destacando-se: 669 por condução sob o efeito do álcool; 332 por condução sem habilitação legal; 77 por tráfico de estupefacientes; 42 por posse ilegal de armas e arma proibida; e 31 por furto e roubo. No total, foram fiscalizados 118.547 condutores e 386.703 veículos foram controlados, com 30.240 contraordenações rodoviárias, destacando-se: 1.292 por condução sob a influência do álcool; 8.677 por excesso de velocidade; 1.992 por falta de inspeção periódica; 991 pela incorreta ou não utilização do cinto de segurança ou de sistemas de retenção; 799 por utilização indevida do telemóvel durante a condução; e 739 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

No âmbito da legislação COVID-19, registaram-se: 7.030 ações de fiscalização aleatória das quais 652 na fronteira terrestre; 41.095 veículos fiscalizados; e 18 contraordenações.

De acordo com um comunicado da GNR, “tratando-se de uma operação de caráter abrangente, foram empenhadas várias valências das diversas Unidades da Guarda, numa ótica de complementaridade e de sinergia de várias ações de patrulhamento, fiscalização e sensibilização, de forma flexível, tendo sido o esforço de forma a combater a criminalidade em geral e a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e o apoio aos utentes das vias, bem como garantir o cumprimento dos normativos decretados na situação de calamidade, através de uma presença dissuasora, interventiva e preventiva”. Esta operação teve como objetivo “combater a criminalidade geral, intensificar o patrulhamento rodoviário e garantir o cumprimento das medidas necessárias à contenção da COVID-19, por forma a assegurar as festividades e as deslocações em segurança, no período em apreço”.