O Seminário Menor de Resende da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental, de Viseu, (APPACDM) vai ser dotado de um Lar Residencial e um Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão CACI para 30 utentes, no seguimento da candidatura aprovada através do Programa PARES.

O Lar Residencial e o CACI constituem uma “oportunidade para as pessoas com deficiência e incapacidade que precisam do nosso serviço”, sublinha Emília Dias, Diretora Executiva da APPACDM – Viseu.

As duas novas respostas sociais vão criar 35 postos de trabalho em Resende, porque se trata de “um território de baixa densidade populacional e com pouca oferta profissional, possibilitando às famílias permanecer na região e nos concelhos limítrofes”. Para a diretora executiva esta “era uma resposta necessária, uma vez que o município tem uma baixa taxa de cobertura na área da deficiência e incapacidade. Foi feito um levantamento de necessidades e identificamos cerca de 80 jovens com dificuldades intelectuais que se encontravam sem qualquer resposta social”, explica.

Seminário Menor de Resende

O novo Lar Residencial e o CACI representam um investimento “superior a dois milhões de euros”, com o apoio do município em 25%.

A APPACDM é constituída por um estabelecimento em Santa Comba Dão, dois em Viseu (onde se encontra a sede) e surge agora “a oportunidade de alargar para o norte do distrito, de forma a centralizar os serviços”.

A candidatura ao Programa PARES Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais – 3.ª Geração, decorreu entre os meses de outubro a dezembro de 2020 e aprovada a 28 de fevereiro de 2022. Foi uma das 20 aprovadas no distrito de Viseu, num universo de 114 candidaturas a nível distrital e 1100 a nível nacional.

O projeto contou com o apoio de empresas, Juntas de Freguesia do concelho de Resende e outras entidades públicas e privadas, mas também dos municípios de Baião e Mesão Frio.