As notas de 10 euros passaram a ser as mais apreendidas, mas duplicaram as notas falsas de 100, 200 e 500 euros.

As notas de 10 euros foram as mais apreendidas no ano de 2022 em Portugal, contrariando a tendência de anos anteriores, em que as de 20 euros eram as mais contrafeitas e retiradas de circulação. Na zona euro, as notas de 20 e 50 euros continuaram a ser as mais falsificadas.

Ao todo, “o número de contrafações apreendidas na circulação em 2022 diminuiu 1% relativamente a 2021. Foram apreendidas 10 732 contrafações, o que representa 2,86% do total das apreensões no Eurosistema”, indica a autoridade nacional, referindo-se às 376 mil notas falsas de euro detetadas e reportadas pelo Banco Central Europeu. Já em valor houve uma subida.

O aumento da contrafação do número de notas de 10 euros foi limitado (6%), mas houve uma descida de 22% das notas de 20 euros apreendidas, o que explica o novo lugar no pódio das notas de mais baixo valor apanhadas pelas autoridades, de acordo com os dados divulgados na segunda-feira, 30 de janeiro, pelo Banco de Portugal.

Por outro lado, houve uma duplicação das notas falsas detetadas de 100, 200 e 500 euros.

No comunicado que publicou, o Banco de Portugal lembra que “uma contrafação não é reembolsada, o que implica um prejuízo para a pessoa que a recebe”.