Esta quinta-feira, dia 3 de março, celebra-se o Dia Mundial da Vida Selvagem.

Para comemorar o Dia Mundial da Vida Selvagem, Pedro Prata, líder de equipa da Rewilding Portugal, explica esta nova abordagem no mundo da conservação da natureza que é o rewilding, como funciona e quais os nossos principais objetivos e ainda o nosso papel nestes processos de renaturalização e restauro das nossas paisagens e ecossistemas.

Como explica Pedro Prata o rewilding “é uma forma prática, progressista e inovadora de conservação da natureza e da biodiversidade”, em que o papel da comunidade é “fazer com que a natureza atinja o seu potencial máximo”, com todas as espécies nativas da região presentes e desempenhando as suas funções.

Foto: Blue Nomads

O líder de equipa da Rewilding Portugal clarifica que “numa tradução simples rewilding é renaturalizar”. Um dos princípios da renaturalização indica que “devemos intervir na natureza numa fase inicial para que não o tenhamos de continuar a fazer no futuro. Tendo isso feito, devemos deixar que as coisas sigam o seu rumo natural, com o mínimo de intervenção humana”.

Pedro Prata reconhece que esta nova abordagem “será capaz de o fazer ainda melhor se lhe forem dadas as ferramentas necessárias e espaço/tempo para que atinja o seu potencial”. Que intervenções e ferramentas podemos então usar para renaturalizar áreas naturais? O líder refere que “são simples na grande maioria, e algumas são facilmente acessíveis e de baixo custo, sendo aplicáveis em grande escala”.

Foto: Blue Nomads

Pedro Prata está certo de que “a vida não será como era antes pois nunca se falou em reverter nada, mas apenas em dar oportunidade para que a vida seja amanhã melhor do que é hoje”.

Pode ver um documentário recente da Rewilding Portugal, que explica melhor o trabalho que sido desenvolvido no terreno.