O município de Paredes homenageia este sábado, dia 10 de dezembro, a vida e obra do artista plástico Henrique Silva, “o paredense emigrado”, com uma exposição.

A Casa da Cultura de Paredes vai receber a exposição “Desenhos” de homenagem ao pintor, com desenhos a grafite e pastel sobre papel “nunca antes mostrados”, indica um comunicado da autarquia. A mostra vai ser inaugurada este sábado, pelas 18h00, e conta com a curadoria de José Rosinhas Vai estar patente até dia 8 de janeiro de 2023 no Palacete da Granja.

A exposição das obras da quarta edição do Prémio de Artes Plásticas “Henrique Silva” vai ser, também, apresentada ao público este sábado, pelas 18h00. Este concurso pretende “incentivar outros artistas a apresentarem novas manifestações criativas”.

Também no dia 10 de dezembro, pelas 18h30, vai ser apresentado o livro “Henrique Silva – A Arte em Estado de Acção”, de António Quadros Ferreira com Edições Afrontamento.

Encontra-se ainda patente na Casa da Cultura de Paredes a terceira edição da Exposição de Artistas do Vale do Sousa “Henrique Silva: Vida e Obra”, com curadoria de José Rosinhas. Esta exposição coletiva é um projeto curatorial que reúne 30 artistas contemporâneos do Vale do Sousa, maioritariamente do concelho de Paredes, e vai estar patente até dia 3 de janeiro de 2023.

“Henrique Silva: Vida e Obra” foi o tema escolhido para esta exposição deste ano, no âmbito das várias iniciativas, preparadas pelo município, de homenagem a Henrique Silva, que fará 90 anos em outubro de 2023.

“É com uma enorme satisfação que apresentamos a terceira edição da Exposição de Artistas do Vale de Sousa, projeto que tem permitido, entre outros na Cultura, dar a devida visibilidade à Casa da Cultura de Paredes, que cresce em número de exposições, artistas e visitantes”, afirmou Beatriz Meireles, vereadora com o Pelouro da Cultura.

“O município de Paredes dedica, assim, uma sentida homenagem pelos seus noventa anos, desenvolvendo uma programação cultural diversificada, que se inicia com esta exposição ‘Desenhos’ e termina em outubro de 2023, data do seu aniversário, com uma exposição da Cooperativa Árvore, onde Henrique Silva foi diretor executivo”, pode ler-se.

Henrique Silva, nasceu em 1933, na cidade de Paredes. É artista plástico, foi diretor executivo da Árvore, Coop. Atividade Artísticas de 1978 a 1995, presidente da Projeto, Núcleo de Desenvolvimento Cultural, cofundador e diretor da Bienal de Cerveira desde 2003. É diretor do Curso Superior de Artes e Multimédia da Escola Superior Gallaecia, desde 2009 e presidente do Conselho Científico da Escola Superior Gallaecia.

Foi bolseiro da Fundação Gulbenkian em Paris, de 1961 a 1963, frequentando a École Superieur de Beux-Arts de Paris. Licenciou-se pela Universitée de Paris VIII, em 1977, em Artes Plásticas para o Ensino, sendo doutorado em Média-Arte Digital na Universidade Aberta e Universidade do Algarve, em 2015.

Foi diretor geral e pedagógico da Escola Profissional de Economia Social, em 1989/91 e 1998/2000, e participou em seminários e reuniões internacionais em Varsóvia – 1983, Bruxelas – 1986, Creta – 1987, entre outras, sobre políticas de desenvolvimento territorial e cultural.

Expôs em Portugal, Espanha, França, Bélgica, Estado Unidos, entre outros países, desde 1958, com mais de 50 exposições individuais e 200 exposições coletivas.