O município de Marco de Canaveses reuniu esta segunda-feira, dia 18 de julho, com o ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, com o objetivo de lhe apresentar o plano de investimentos do município para as redes de abastecimento de água e saneamento.

“Solicitamos esta reunião com o ministro do Ambiente e da Ação Climática, no sentido de o sensibilizar, e junto dos organismos que tutela, para o apoio financeiro aos investimentos do município nas redes de abastecimento de água e saneamento, bem como infraestruturas de tratamento, para um concelho que por razões de gestão de uma complexa gestão da concessão destes serviços, vê atrasada uma resposta que deveria atingir 90% de cobertura na rede de abastecimento de água e 85% de saneamento de águas residuais, que são as metas nacionais da ERSAR”, referiu Cristina Vieira, presidente da Câmara Municipal de Marco de Canaveses.

Em comunicado, a câmara municipal indicou que “tem vindo a avançar com uma série de investimentos, na rede de abastecimento de água e saneamento, o que permitiu que, desde 2017, fossem efetivadas cerca de três mil novas ligações às redes”. “Levamos os serviços a perto de 10 mil marcoenses, um quinto da população residente. É um trabalho que não tem paralelo na história deste concelho, nesta área, num tão curto espaço temporal”, informou.

O projeto ‘Reformulação da ETAR de Ponte das Tábuas’ conta com o apoio do Fundo de Coesão, através do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), com um financiamento comunitário no valor de um milhão de euros. “O muro que derrubamos com esta obra, ao abrir o caminho dos fundos comunitários para infraestruturas de água e saneamento no Marco de Canaveses, representa mais um motivo de otimismo dos marcoenses. Estaremos atentos ao próximo quadro comunitário e preparados para agarrar cada oportunidade que nos permita alavancar e acelerar a resolução do problema da taxa de cobertura de água e saneamento no concelho, para, dessa forma, dissipar de vez este atraso que tanto tem prejudicado as famílias e a sua qualidade de vida, mas também o concelho do ponto de vista da coesão territorial e do seu desenvolvimento ambiental e económico”, garantiu.

A autarca esteve acompanhada pelos vereadores Mário Bruno Magalhães e Nuno Pinto e apresentou também algumas preocupações relacionadas com o setor da extração e transformação de granito.