O município de Celorico de Basto aprovou, na segunda-feira, dia 7 de março, a criação de uma rede de apoio à população ucraniana.

Na proposta, está prevista a criação de uma plataforma de recolha de bens alimentares, medicamentos, roupas e outros bens de primeira necessidade, identificados pelas organizações que neste momento trabalham no terreno.

Esta plataforma, coordenada pelo Banco Local de Voluntariado local, reunirá os contributos das diversas instituições, organizações e cidadãos, que a título individual pretendam dar o seu contributo de ajuda ao povo ucraniano e irá articular com as organizações que estão a fazer chegar estes bens a quem deles necessita.

A rede solidária contempla ainda “a criação de condições para acolhimento e integração de refugiados, prestando apoio ao nível da habitação – em instalações pertencentes ao município, nomeadamente a antiga Estação de Caminho de Ferro de Celorico de Basto e coordenando a disponibilidade de outros locais com diversas organizações e privados, mas proporcionando também apoios ao nível do emprego, educação, integração social e apoio jurídico”.

Em comunicado, a autarquia refere que a proposta foi apresentada pelo presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, José Peixoto Lima, e teve a aprovação de todos os vereadores municipais.

Para José Peixoto Lima, “este é um contributo importante do município de Celorico de Basto, que não se limita ao envio de ajuda humanitária para a frente da guerra”. “Na medida das nossas possibilidades, tudo faremos para apoiar este povo que neste momento sofre as agruras da guerra… o povo ucraniano tem um historial de boa integração na nossa comunidade e o nosso concelho caracteriza-se pelo espírito solidário, pelo que, esta aprovação por unanimidade por parte do executivo municipal, reflete o sentimento dos celoricenses e a vontade de ajudar quem neste momento passa por dificuldades”, disse.

“Estaremos atentos à evolução da situação e não nos iremos colocar de lado nesta causa humanitária, honrando o nosso historial de colaboração e solidariedade, enquanto europeus, portugueses e celoricenses”, acrescentou.

A recolha de bens, nesta primeira fase, vai decorrer até dia 15 de março, podendo ser entregues nas Juntas de Freguesia ou na Câmara Amiga.