A autarquia tem vindo a desenvolver trabalhos para controlar a vespa velutina e, por isso, apostou na colocação de uma armadilha entomológica fornecida pelo INIAV, Instituto Nacional de Investigação Veterinária, junto aos paços do concelho, pendurada numa camélia.

O município de Celorico de Basto apostou na colocação de uma armadilha entomológica fornecida pelo INIAV, Instituto Nacional de Investigação Veterinária, junto aos paços do concelho, pendurada numa camélia, de forma a continuar a controlar a vespa velunita.

Segundo nota de imprensa, a armadilha entomológica “será monitorizada quinzenalmente pelos técnicos do Serviço Municipal de Proteção Civil que reportarão à entidade gestora do projeto, os dados recolhidos”. Desta forma, Celorico de Basto tem “todo o território concelhio coberto com armadilhas de vespas asiáticas com a intenção de controlar a propagação desta espécie invasora”.

A autarquia integra o projeto VIGIAVESPA, inserido no Plano de Ação para vigilância e Controlo da Vespa-asiática em Portugal, que prevê ações de vigilância ativa, monitorização e controlo com a colocação entomológica.

Neste sentido, o vereador com o Pelouro do Ambiente do município de Celorico de Basto refere que “a participação nesta ação de vigilância, monitorização e controlo da vespa asiática é importante porque ao longo do estudo iremos poder tirar algumas conclusões, nomeadamente se a nossa estratégia de controlo desta praga tem sido executado convenientemente ou se teremos de mudar algum procedimento”.

A vespa velutina continua presente no território e tem “preocupado cada vez mais as populações, seja por uma questão de segurança, seja pela destruição massiva das colmeias e das culturas” acrescentou o autarca.