A Câmara Municipal de Baião, por proposta do presidente Paulo Pereira, aprovou, por unanimidade, a aplicação da taxa mínima permitida por lei, de 0,3%, para o Imposto Sobre Imóveis (IMI). A proposta foi aprovada em reunião ordinária da autarquia, realizada esta quarta-feira, dia 14 de setembro.

De acordo com Paulo Pereira, “esta é mais uma medida no meio de outras que tendem a criar uma ambiência fiscal mais favorável às famílias e às empresas”. Recorde-se que o município de Baião não aplica a “derrama”, um imposto municipal sobre o lucro das empresas.

Estas são medidas que a Câmara Municipal de Baião tem vindo a implementar, “abdicando das receitas que resultam desses impostos, em benefício dos baionenses”. Segundo o presidente do Município, o executivo “tem consciência das dificuldades que as obrigações fiscais, muitas vezes, colocam à população e às empresas e, por isso, o nosso foco passa sempre por encontrar soluções e implementar medidas que possam aliviar o esforço das nossas famílias e das nossas empresas”, referiu. 

A proposta agora aprovada vai ser submetida à apreciação e deliberação da Assembleia Municipal de Baião.