A Câmara Municipal de Amarante apresentou esta sexta-feira, dia 18 de fevereiro, os projetos de Inovação Social, que têm o principal objetivo de combater o isolamento e promover a cidadania e a animação territorial. 

A iniciativa teve lugar no Centro Pastoral de Amarante e contou com a presença do presidente da autarquia, José Luís Gaspar, do vice-presidente e vereador com o pelouro da Ação Social, Jorge Ricardo, e dos representantes dos parceiros da Rede Social.

A sessão arrancou com a apresentação de três projetos de que a autarquia é parceira: o Cantinho do Estudo, um projeto da Fundação Manuel António da Mota que tem como objetivo combater o insucesso escolar; o VES – Voluntariado de Emergência Social, da organização Pista Mágica, cuja  metodologia será testada tendo por base as necessidades provocadas pelas medidas de confinamento e restrições de segurança e saúde públicas decorrentes da pandemia da COVID-19; e Mais Acesso para Todos, projeto promovido pela Associação Salvador que vai incidir na acessibilidade e na inclusão.

Na segunda parte da sessão de apresentação, foram apresentados os três projetos promovidos pela autarquia: a Estratégia Local de Habitação de Amarante, o Campo Interativo e a Aproximidade.

O vereador da autarquia, Jorge Ricardo, que apresentou os últimos dois projetos, afirmou que “o trabalho que tem sido desenvolvido pelo município em parceria com as instituições do concelho é de extrema importância para o nosso território. Temos a responsabilidade de sinalizar e intervir em situações de fragilidade humana com as quais somos confrontados diariamente. A força que nos move é melhorar a qualidade de vida de todos, principalmente daqueles em situação de instabilidade, isolamento e solidão”, enalteceu.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal de Amarante, sublinhou que as “as ações de proximidade que têm sido promovidas pela rede social são de enaltecer pela sua importância e pelo contributo que dão no sentido de uma sociedade mais justa e interventiva. Com programas como estes, hoje apresentados, mostramos que podemos ser mais pro-ativos na ajuda ao próximo, no combate ao isolamento e à solidão, e para detetar desvios comportamentais. Agradeço a todos a generosidade, aos parceiros e aos voluntários, porque só com a ajuda de todos podemos construir uma sociedade civil mais ativa”, concluiu.

A Estratégia Local de Habitação de Amarante é um documento que reflete as necessidades habitacionais do território. Serão criadas soluções para dar resposta às famílias geograficamente dispersas pelo concelho, algumas em situação de sem-abrigo, sobrelotação, insalubridade, insegurança e inadequação. Este documento foi aprovado pelo IHRU – Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana, integrado no programa de apoio ao acesso à habitação, 1.º Direito.

O Município de Amarante pretende dar resposta a 314 famílias, o que corresponde a 702 pessoas identificadas pelos parceiros sociais. Estima-se um valor total de investimento global superior a nove milhões de euros. 

Quanto ao Campo Interativo, projeto de Cidadania e Inclusão Digital que irá funcionar no Bairro da Chentuada. Dirigido a idosos e jovens, este projeto intergeracional e social tem por objetivo combater o isolamento, promover a cidadania e animação territorial. O Campo Inter-Ativo vai dinamizar sessões semanais em diferentes áreas: Gerações de Música, onde se vai privilegiar o património musical local com vista à aproximação dos públicos e eliminação de eventuais barreiras na perceção do modo de vida; Estimulação Cognitiva, Motora e Sensorial, com o objetivo de aumentar a qualidade de vida e bem-estar; e Centro de Cidadania Digital de Amarante, um programa de inclusão digital destinado a seniores e jovens. Esta iniciativa contará também com a parceria dos agrupamentos de escolas do concelho.

Já testado em janeiro, o projeto Aproximidade destina-se a idosos isolados do concelho. Com vista a promover uma vida saudável, ativa e plena foi criada uma equipa multidisciplinar, composta por técnicos da área social, da psicologia e da saúde, que vai identificar estes idosos e promover o seu acompanhamento. O cantar das Janeiras pela Tuna da Universidade Sénior, que aconteceu durante o mês de janeiro em parceria com a GNR, foi uma das ações do programa Aproximidade junto dos idosos isolados do concelho. Coube, inclusive, à Tuna a abertura desta sessão.

Refira-se que todos estes projetos serão trabalhados em colaboração com as entidades sociais do concelho de modo a serem identificadas as pessoas prioritárias para os diferentes programas.