A comemorar o 30º aniversário, o Motor Clube Marco regressa a uma “atividade normal” com a preparação de diversos eventos que assinalam a data. 

O Raid Terras de Bem Viver dá início ao conjunto de atividades, seguindo-se outras relacionadas com os 30 anos do clube, “direcionadas para os sócios e amigos”, revela Daniel Pinto, presidente do Motor Clube do Marco.

O Motor Clube do Marco irá organizar dois eventos distintos: “o primeiro para viaturas de quatro rodas, jipes e suvs, que ainda sem data prevista será um passeio turístico e familiar. O segundo será um evento de motas, para os amantes de todo o terreno”.

O 30º aniversário contará ainda com um “presente especial”. Toda a história será colocada num livro, que guardará todas as “memórias” desde o início do clube, “desde a formação, das pessoas que estiveram presentes na fundação, os antigos presidentes, antigos membros”. conta Daniel Pinto.

Hoje, o presidente do Motor Clube do Marco garante que os objetivos são “voltar ao que era antes. A COVID-19 impôs novos desafios na realização das provas, mas os dois últimos anos foram muito intensos apesar de não termos organizado nenhum evento para os sócios, realizamos três provas do mundial de enduro, um feito inédito”, salienta.

Atualmente, são cerca de 20 os elementos que compõem o Motor Clube do Marco, “pessoas da terra que começaram muito jovens”. Apesar do Motor Clube do Marco fazer parte da sua vida quase desde a fundação, desde 2017 Daniel Pinto enfrenta novos desafios enquanto presidente da direção. “É um desafio muito diferente. Estou como presidente, mas cada um de nós desempenha o seu papel. Inicialmente foi desafiante porque não estavam planeadas tantas provas internacionais e nacionais como fizemos”. Nestes últimos anos realizamos duas provas de rally raid, um prova nacional de enduro e três do mundial de enduro. “Foram anos muitos intensos”, destaca Daniel Pinto.

O clube enfrenta agora novos desafios, entre eles “atrair mais jovens”. Neste momento, o grupo ainda tem muitos elementos desde a sua formação, a maioria, “que são o pilar”, mas com as atividades mais direcionadas para o lazer “pretendemos atrair mais pessoas para o grupo e para uma próxima geração. Alguns filhos e sobrinhos já estão a começar e queremos que continuem essa paixão”.