O ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, anunciou que a água de quatro barragens está com um volume “claramente abaixo da média” e, dessa forma, não devem ser usadas para produzir eletricidade. Afirma que a situação está controlada, mas deixa um apelo: “todos temos de estar preocupados para que consumamos a menor quantidade de água possível”.

As barragens em questão são a de Vilar Tabuaço, Cabril, Castelo do Bode e Alto Lindo, barragens que pertencem à EDP e foram limitadas por quotas mínimas do volume de água disponibilizado. No caso da Barragem da Bravura, no Algarve, nem para a rega pode usar a água.

O principal objetivo é priorizar o uso da água para o consumo humano. Desta forma, com base na disponibilidade na bacia hídrica do Douro, o Governo não limitou a água de forma genérica em todo o país, mas apenas em zonas específicas. 

Leia a notícia completa no Expresso.